É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

19 de mai de 2009

A coxinha vence no Estado de São Paulo

O governador José Serra vetou ontem, o projeto de lei que proibia as escolas de oferecer às crianças lanches calóricos, frituras e, por outra lado, obrigava estas mesmas escolas a oferecer 2 tipos de frutas. A alegação é que o projeto continha alguns “defeitos”, conceitos vagos e imprecisos sem rigor técnico.
Não creio que estes “defeitos” não sejam de natureza sanável. O governador não precisava ter vetado o projeto todo, poderia ter feito isto apenas em alguns itens, ou então devolver para que os erros fossem corrigidos, já que não se tratava de ato ilegal, inválido apenas imperfeito.
Agora, cabe a nossos deputados rever o veto do Governador – quem terá coragem? O Estatuto da Criança e do Adolescente protege a criança, sua integridade moral e cívica. Cabe então ao Governo protegê-las em termos alimentares, se seus pais não ensinam a correta forma de comer. Esta é uma desculpa que não pode e não deve ser usada.
No site do jornal O Estado de S.Paulo, (
http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,serra-veta-projeto-que-proibia-venda-de-coxinhas-em-escolas,372971,0.htm) tem um comentário sobre este assunto onde uma ex-diretora de escola (graças a Deus ex) apóia a medida dizendo que os alunos vão procurar o alimento fora da escola. Mas o que é isso? No meu tempo de escola o portão ficava fechado. Aluno não podia sair a seu bel prazer, afinal é dever da escola salvaguardar a vida deste aluno durante o período de aula.
Gostaria de ver o Deputado para o qual votei, assim como o que vocês votaram, leitores, ousarem rever este veto. A “coxinha” não pode vencer a saúde de nossas crianças. Queremos um futuro melhor, mais saudável para todos. O veto ao cigarro foi o primeiro passo (parabéns aos nossos governantes) agora, falta moralizar as cantinas e a merenda escolar.

Nenhum comentário: