É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

4 de jun de 2009

A educação exige questionamentos.

Será que a escola de hoje, deve ensinar como a escola de ontem? Será que o quadro negro, ou branco, e o giz são suficientes para que o aluno possa aprender? O que é aprender? O que é aprendizagem? O professor só ensina?
O aluno precisa que sua atenção seja limitada na sala de aula?
Este mesmo aluno deve ter a liberdade de pesquisar em seu computador de mão, ou notebook, enquanto o professor explica um novo assunto?
Quais são as vantagens de ele fazer isto? E as desvantagens?
Ensinar para um adulto deve ser igual a educar crianças? Então, se não é, porque muitas escolas insistem em tratar adultos como crianças?
Por que no Brasil, os pais não podem ensinar seus filhos e assumirem o papel de educadores, como acontece em alguns países de primeiro mundo?
Por que a universidade no Brasil é tão restrita? Por que não podemos passar 4 anos estudando os grande clássicos da literatura, por exemplo?
Por que a maioria do ensino a distância, o aluno ainda deve se deslocar para uma sede da escola, se o Ensino é a Distância?
Será que alguém consegue ter a resposta para todas estas perguntas?
Assisti a algumas palestras brilhantes no 7º Fórum Universitário Pearson (FUP), que puderam colocar uma pequena luz neste fim do túnel de questionamentos educacionais. Eu vou contar aos meus leitores, aos poucos sobre os assuntos debatidos. Mas, agora eu gostaria que vocês me respondessem o que pensam sobre as questões colocadas neste texto.

Um comentário:

Doutor Satille disse...

Importante responder à essas questões; Mas o saber (...)deveria sempre ser posto à prova, pois esse é um hábito que ainda não temos no Brasil!