É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

29 de jul de 2009

A Vergonha dos Fretados

Não sei se o título está correto, mas talvez fosse o caso de dizer “O total descaso da Secretaria de Transporte com a população paulistana”.
Não é necessário ser um “guru” para saber que o caos iria se instalar na cidade de São Paulo com está nova regulamentação dos fretados. É uma vergonha para o país e para o mundo, que as pessoas responsáveis por transformar a vida dos cidadãos em algo confortável tenham, de repente, virado a vida de pessoas honestas e que trabalham duro para pagar suas contas, em um verdadeiro inferno.
O que o Secretário de Transporte deveria ter feito é passar uma ou duas semanas se deslocando de condução, ou por que não dizer, morando em outra cidade, por exemplo, e pegando ônibus até São Paulo, e depois ficasse em filas para comprar passagem ou para passar na catraca, ou pior ainda, desembarcar há 3 quilômetros do seu local de trabalho e fizesse o trajeto à pé, com horário para entrar e sendo descontado se atrasasse.
É isso que dá quando o país coloca burocratas para comandar Secretarias que precisam, antes de tudo, pessoas praticas, que saem no meio do povo antes de propor leis e regulamentos absurdos.
Concordo que os Fretados precisavam obedecer a regras, mas no geral, quem se utiliza deste tipo de condução não possui outra forma de se deslocar (por que o transporte público não atende com eficiência) a não ser o carro. E, é o que irá acontecer se o Secretário não voltar atrás nesta proposta absurda.
Cada fretado leva até 40 pessoas, 200 fretados parando na porta do Metrô Imigrantes, por exemplo, significam 8000 pessoas a mais usando o transporte público; 200 ônibus parados para que as pessoa desembarquem. Se imaginarmos uma média de 5 segundos por pessoa para o desembarque, serão 4 minutos por ônibus. São contas simples que tenho certeza, nenhuma autoridade se deu o trabalho de fazer.
O que fica claro é que tudo o que está acontecendo não é um período de adaptação para as pessoas e que, na realidade, esta regulamentação está totalmente errada e fora da realidade. Em suma, faz-se urgente uma anulação e o repensar de uma regulamentação mais coerente e que atenda aos interesses coletivos e individuais, conforme determina a Constituição.

2 comentários:

Alberto disse...

Olá Soraya!
É exatamente o que eu penso!
Provavelmente, quem tiver carro irá usá-lo para ir ao centro expandido. O que significa trânsito congestionado.
E quem não tiver vai de metrô. O problema é que muitas das estações sofrem de superlotação.

Abraços, Alberto

Newton disse...

Os fretados são como muitos dos problemas vinculados ao caos do trânsito, um caso polêmico. Se de um lado sempre existiu a falta de transporte público, no mínimo satisfatório, do outro existe também os problemas que os fretados causam como o espaço que eles ocupam quando não estão trafegando e a insistência em manobrar por vias estreitíssimas para ganhar tempo e "mimar" seus usuários... De quem é a culpa? Difícil apontar... Aliás, é fácil escolher um lado mas resolver a questão não