É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

30 de set de 2009

Se não fosse trágico



Saiu na imprensa internacional ontem uma notícia no mínimo absurda, não pelo seu conteúdo mas pelo fato em si.
A escritora J.K Rowling (Harry Potter) foi recusada pelo ex-presidente dos Estados Unidos, George Bush, para receber a “ Presidential Medal of Freedom”, uma medalha dada pelo governo norte americano a pessoas que se destacam em suas áreas.
A recusa seria aceitável se o motivo não fosse o mais absurdo. Segundo informações divulgadas, o ex-presidente Bush recusou destacar a escritora por que, na cabeça dele, ela encoraja a bruxaria.
Se não fosse triste, seria uma piada, pois a afirmação nos leva a crer que o ex- presidente norte americano acredita em bruxas, magia negra e quem sabe em elfos-domésticos (seria muito bom ter um Dobby em casa), hipogrifos e outros personagens, fruto da imaginação e do inconsciente coletivo do povo da Terra.
O que causa mais espanto é que, na terra (USA) onde se prega a democracia plena, os direitos individuais, religiosos e mais uma série de discursos, há submerso um preconceito sem limites para o que é diferente, desconhecido e neste caso, pior ainda, imaginário.
A criança tem direito a imaginação, a sonhar, a pensar que poderá ser uma bruxa ou bruxo, a desejar que um dia apareça no meio de seu quarto, um duende, um saci. O Governo e os pais têm o dever de incentivar a criança a trabalhar sua idéias, seus sonhos para que aos poucos ela possa distinguir a realidade da imaginação.
Uma criança cuja imaginação foi incentivada e trabalhada será um adulto melhor, mais equilibrado, criativo e pronto para os obstáculos cotidianos.
Desde os mais remotos tempos contam-se estórias sobre o sobrenatural para crianças, é só analisar as fábulas dos Irmãos Grimm; é só avaliar a riqueza das belíssimas aventuras criadas por Monteiro Lobato.
Então, chegamos à conclusão que talvez, o ex-presidente citado, não usufruiu de sua infância como deveria e hoje, trata as pessoas que enriquecem o imaginário infantil como “bichos-papão comedores de crianças”.
- Ridicullus!!!

Nenhum comentário: