É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

4 de out de 2010

Um amor para Recordar

Eu adoro estar em dia com o cinema e ver todas, ou quase, novidades que aparecem. Mas isso não me impede de buscar o antigo, filmes que há muitos anos ninguém se lembra. Os clássicos, como Casablanca (nem tão esquecido), sucessos da década de 50 e outros filmes que podem ser Cults ou não.
Nos últimos meses tenho assistido a bons e antigos filmes, muitas vezes graças a amigos que nos apresentam preciosidades. Nesta linha, tomo a liberdade de comentar uma produção norte americana de 2002.
Em português, o filme chama-se Um Amor para Recordar, mas eu prefiro o charme e a sutiliza do nome em inglês - A Walk to Remember. O filme tem a direção de Adam Shankman, com Mandy Moore e Shane West nos papéis principais.
A trama é básica, rapaz tipo bad boy apaixona-se por garota boazinha que transforma a vida do rapaz. Nada de espetacular? Sim. Mas a condução da história e o final intangível fazem deste filme especial.
Landon, um rapaz popular que não se dá com o pai, separado de sua mãe, é alguém perdido na vida, inconseqüente, mas não totalmente mau. Depois de beber dentro da escola é punido com atividades extracurriculares como aulas de reforços para crianças problemáticas e participar da produção teatral da primavera.
Obrigado a se afastar dos “amigos” devido às atividades na escola, Landon começa a conviver mais com Jamie, uma garota tímida, filha de um pastor e extremamente inteligente. A relação entre os dois modifica lentamente Landon, que se apaixona por ela, sem ao menos saber o que o futuro reserva para os dois.
A força expressiva dos atores, e as mãos implacáveis do destino tornam o amor delicado e ingênuo entre os personagens em algo eletrizante. É um filme para chorar, se emocionar, para questionar a vida, o destino, para assistir a dois. Não espere algo intelectual com grandes sacadas de imagens, frases mirabolantes. O objetivo do filme é completamente outro: - é o ser humano em sua fragilidade e sua força.
Assista com os olhos da alma. É para este tipo de olhar que o filme foi feito. Eu adorei.

Nenhum comentário: