É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

3 de nov de 2010

Duro golpe na democracia

A anunciada eleição de Dilma Rousseff como presidente do Brasil trouxe uma nuvem para o país. Um futuro incerto, conduzido por alguém que tem perfil ditatorial e péssimas relações com a imprensa.
Golpe na democracia por que o povo demonstrou absoluta incapacidade de avaliar candidatos sem os parâmetros do assistencialismo, que inutiliza a pessoa como ser humano, ao invés de ajudá-la.
Assistencialismo que está criando uma legião de pessoas que preferem a ajuda do governo aos parcos salários pagos no país. Governo que ao invés de melhorar e incentivar os empresários a contratar e pagar mais os trabalhadores prefere dar “esmolas”.
Infelizmente não posso comemorar a eleição da primeira presidente mulher do Brasil, por que percebo que será um fracasso, e isso nos colocará cada vez mais na berlinda das críticas e do preconceito.
Venceu a mentira, a ilusão, um “boneco” criado pelo atual presidente, retornando em nossa memória a vitória de Collor. A história é a mesma, só mudou o partido.
Finalmente, o Brasil demonstrou que urnas eletrônicas e todo o estardalhaço de nossa democracia não servem para nada quando o povo não é incentivado a pensar por si próprio, sem deixar-se influenciar por populismo barato. Mas, o que poderíamos esperar? Um povo que elege Tiririca e não se importa se o candidato poderá ler e avaliar documentos... o que mais poderíamos esperar?
Hoje a democracia sofreu um duro golpe, e sentiremos seus efeitos ao longo dos próximos anos. Quem sabe quando “a ficha cair”, desta vez o povo aprenda que o voto é algo importante e primordial, e que bolsas famílias e outros assistencialismos são apenas paliativos, pois o que realmente importa é a capacidade de trabalhar e ganhar seu dinheiro dignamente.
Está na hora do povo parar e pensar que não adianta ganhar o peixe, pois vai chegar o dia que não haverá ninguém para pescar por ele. O que vai acontecer? Morrer de fome por que não aprendeu a pescar?
Independentemente de quem é o presidente, eu torço pelo Brasil, para que ele cresça, amadureça e se torne uma potencia, não só econômica, mas em capital humano. Infelizmente, o resultado da eleição de 2010 não nos traz uma previsão positiva. É triste... mas trata-se do reflexo de uma Brasil de 8 anos para cá.

2 comentários:

Desafio fora do padrão disse...

Oi, Soraia, fazia algum tempo que você não publicava, mas esta "ausencia" foi muito boa pra você. Sua critica ao processo eleitoral, que culminou com a eleição da Dilma vai de encontro com o que penso. Um futuro sombrio, cheio de negociatas, com um congresso amordaçado pelos "compromissos" assumidos com os partidos. Dá pra imaginar que o que virá por ai será realmente em beneficio do povo. O deles, é claro.

Luis Antonio

Doutor Satille disse...

Na verdade os eleitores do norte e nordeste, mais os de Minas Gerais, nos venderam a todos por "trinta dinheiro". Agora temos de torcer pela a Dilma e por todos nós, principalmente, nós do sul. Dez partidos vão dividir o bolo do poder. Pelo que vimos, recentemente, com o filho da Ministra da Casa Civil, um pequeno negocinho pode render 400 milhões... nossa, tamo ferrado!