É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

27 de jul de 2011

A Pedra Filosofal da Escrita Criativa

O que é escrever criativamente? Quanto tempo você leva para ter uma boa ideia? O melhor seria perguntar o que é uma boa ideia?
Milhões de pessoas no mundo, entre elas estudantes, profissionais do texto, escritores, perguntam-se exaustivamente sobre o tema. Sentados diante de um computador ou munidos de papel e caneta, todos nós nos deparamos, um dia, com o mistério da folha em branco.
Quem já não se viu diante de uma folha de sulfite obrigando-se a escrever sobre si mesmo em uma seleção de emprego? Da moça do café até o mais alto cargo executivo, todos passaram por este dilema.
Então, por que escrever ainda é uma tortura para boa parte das pessoas?
- Escrever é uma viagem através do desconhecido, uma aventura na qual travamos lutas contra monstros selvagens, demônios demoníacos (não se assustem com a falsa redundância) e encontramos muitas vezes fadas, bruxas e musas.
Diferentemente de uma conta matemática, a escrita deixa marcas, rastros do seu DNA impregnados nas letras, espaços, pontos, tramas, figuras de linguagem, verbos e toda uma parafernália de convenções gramaticais.
Ai é que mora o problema. O ser humano, por excelência não gosta de se expor, e a escrita é a maior forma de exposição de seu íntimo. Aos amantes de Fernando Pessoa alerto que o seu poema é verdadeiro (“O poeta é um fingidor”), mas enredos a parte, ninguém finge sentimentos.
Então, sempre sobra um pouco do escritor na história que ele criou e por mais que o público nunca saiba, ele sempre se sentirá “nu” diante de uma platéia.
Outro fator é a gramática que fomos obrigados a engolir nas escolas. Lá, naqueles áureos tempos, era mais importante escrever uma frase corretamente, com suas vírgulas, pontos etc, que usar a imaginação e escrever com paixão.
Então é errado aprender gramática?
- NÃO, é claro não.
Sem a estrutura da língua ninguém se comunica corretamente. Até o mero uso de uma vírgula poderá mudar o contexto da frase de uma maneira irreversível.
Qual seria a solução?
Já que o estrago foi feito, e boa parte das pessoas já saiu dos bancos escolares sem saber escrever, resta à busca do possível: - Escrever bem e ter criatividade.

Seguem algumas dicas na hora de escrever:
1. Não pense. Escreva tudo o que vier na cabeça. Corte a censura do seu cérebro. Brigue com ele se necessário.
2. Leia novamente tudo o que escreveu e corte tudo o que achar supérfluo. Mas, aconselho a não riscar ou deletar o arquivo. Muitas vezes o que a primeira vista parecia ruim poderá se transformar em algo brilhante.
3. Nunca, em momento algum, pense que está escrevendo para sua mãe. Em nossa imaginação elas quase sempre representam censura.
4. Tente achar uma ordem lógica no texto. Pense que está contando uma história para um grande amigo, algo que aconteceu com você há alguns dias atrás. Estabeleça uma linha do tempo, que pode ser na ordem em que os fatos ocorreram ou em flash back, só para limitar um pouco o campo de ação já que as possibilidades são infinitas.
5. Defina quem está contando: Você? Outra pessoa? Alguém que está com uma câmera na mão e consegue enxergar tudo o que está acontecendo? Isso determinará a forma como escreverá, os tempos verbais etc.
6. Passe a limpo o texto da forma que estruturou e verifique as palavras. Há muitas repetições? Elas precisam realmente existir ou foi falta de ideia para utilização de outras? Se o problema for falta de ideia, pare um minuto e se pergunte quantos sinônimos esta palavra possui e qual ficaria melhor no seu texto.
7. Acabou? Então leia em voz alta. Se estiver em uma entrevista de emprego, basta mexer os lábios sem som. Isso ativará em seu cérebro o “modo leitura” e você terá uma nova visão do que escreveu.
Escrever não é um bicho de sete cabeças, mas sim uma alquimia: O perfeito casamento entre os elementos se dará na medida em que for possível juntar ideias, forma, palavras e fluência.
E, mais importante de tudo. A “pedra filosofal” do texto existe, mas assim como os velhos alquimistas, só depois de muitos anos de observação, tentativas e trabalho duro é que se chega a elas.
Agora, mãos ao texto.

Imagem colorida tirada da internet: link

3 comentários:

andreabertoncel disse...

Amei esse seu texto - com dicas muito valiosas para todos nós blogueiros diário :)
obrigada e sucesso

Luis Antonio disse...

Pronto, eis a Soraya de volta! E voltou vitoriosa. Que beleza de texto. Me senti motivado e quem sabe eu não crie a coragem que as vezes sinto que falta e me deixe levar pela magia das palavras, mesmo que de quando em quando uma virgula ou um ponto ficarem fora de lugar.
Escrever realmente é isso! É tão prazeiroso quando o texto fica pronto, mesmo que guardado a 07 chaves.

Enquanto procuro a inspiração, ou mesma a "aquela" motivação, faça um favor para seu publico, liberte-se cada vez mais. Tem muita gente doida para aplaudi-la de pé e ficar um longo tempo na fila para conseguir uma dedicatoria naquele livro que um dia vai ser um grande sucesso, escrito por você, é claro!.
Sucesso,

Luis Antonio

Soraya Felix disse...

Muito obrigada Luis. Espero sinceramente que o lançamento do meu livro não demore muito. Mas sabe como é Brasil.... Hoje segue outra cópia para uma editora no Rio que eu gosto muito. Quem sabe????
Vou colocar mais dicas de texto. Aguarde os próximos posts, e enquanto isso escreva bastante e tenha sempre um caderno de anotações do lado. Abs