É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

5 de jun de 2012

Lançamentos de Junho

É uma tarefa meio inglória publicar lançamentos no Brasil, já que boa parte das editoras não mantêm datas em seus sites, e fica sempre aquela dúvida – Será?
Pois bem, por isso manterei sempre a seguinte regra:
- Editoras que postam datas de lançamentos de seus livros têm prioridade no Blog. Outros títulos virão sempre no final do post e sem data. Este mês parabenizo a Intrínseca e a Terracota por sua organização e detalhamento de suas obras e autores.

1/6 – O torreão
Jennifer Egan
A narrativa não convencional de Jennifer Egan —vencedora do Pulitzer de Ficção e do National Book Critics Circle Award em 2011 por A visita cruel do tempo — subverte os limites entre realidade e imaginação nesse romance neogótico sobre a bizarra estadia de Danny, um nova-iorquino viciado em celular, em um castelo medieval na Europa.

Tradutor: FIGUEIREDO, RUBENS
Editora:  INTRINSECA
Edição: 1ª-  Ano: 2012

08/6 – Desejos dos mortos
Kimberly Derting
No segundo livro da série The Body Finder, Violet Ambrose continua tentando manter seu segredo — o dom de encontrar os corpos de vítimas de assassinato —, mas involuntariamente torna-se objeto de uma perigosa obsessão. Ao mesmo tempo, ela se dedica a investigar a família do recém-chegado Mike, novo amigo de Jay, e acaba descobrindo uma verdade capaz de colocar todos eles em perigo.
Tradutor: SUSSEKIND, RITA
Editora:  INTRINSECA
Edição: 1ª - Ano: 2012
*Capa da Edição em Inglês

15/6 – Caminhos de sangue (Blood Red Road)
Moira Young
Vencedor do Costa Children’s Book Award em 2011 e do BC Book Prizes 2012, o primeiro livro da série Dustlands é uma aventura grandiosa, ambientada em um mundo futurista e violento. Na série distópica, Saba e seu irmão gêmeo, Lugh, sempre viveram no deserto da Lagoa de Prata. Quando uma gigantesca tempestade de areia chega trazendo quatro cavaleiros encapuzados, Lugh é capturado e Saba embarca em uma longa jornada para resgatá-lo.
Editora:  INTRINSECA
Edição: 1ª - Ano: 2012

17/06 – Requiem: sonhos Proibidos (*)
Pette Rissati
O que você faria se não pudesse mais sonhar?
“A química do Réquiem estava em sua corrente sanguínea, não havia com que se preocupar, pensou. Sua mãe dissera, não precisava temer. Rolou na cama algumas vezes, ligou o abajur para tentar ler um pouco na sua multitela, mas não conseguia se concentrar. Até que finalmente adormeceu. E teve um sonho.” (Trecho do livro)
O sonho proibido. A extrapolação da sociedade da informação. A necessidade de ter de volta a capacidade de ser livre de verdade. Em Réquiem: sonhos proibidos, Ivan é um homem normal, sem muitas aspirações na vida, até que recebe uma carta do Governo Mundial: todos seriam obrigados a ingerir uma droga inibidora do sonho. A partir deste momento, seu destino está traçado, mas as linhas não são claras.
EDITORA: TERRACOTA
1ª Edição - 2012
(*) Resenha sairá no final do mês.

O Livro de Julieta
Cristina Sanches-Andrade
Um biquíni novo da Hello Kitty, um passeio de mãos dadas com os irmãos, uma piscina de bolinhas, a chuva, a rotina... Para Julieta, a felicidade é isso. Já para sua mãe, a jornalista espanhola Cristina Sánchez-Andrade, a felicidade é algo um pouco mais complicado, principalmente depois que sua filha foi diagnosticada com síndrome de Down. “Ela vai te fazer companhia a vida inteira”, “É um presente de Deus”, “Você é forte, vai superar” - é tudo o que tem ouvido desde então. Numa sucessão de memórias, bilhetes, cartas, diálogos, sonhos e impressões, este livro narra a história real de Cristina e sua filha. É uma história de atividades, de trabalho, de constância, de cobrança, de médicos. Mas é também uma história de amor, de carinho, de brincadeiras, de beijos e de cócegas. É a história de uma criança especial, mas é também a história do cotidiano de uma família, em que desponta uma protagonista cativante. Julieta é uma exímia imitadora, tem medo de guarda-chuvas abertos, admira a irmã mais nova e tem um relacionamento muito próximo com o pai. É impossível não amá-la, mas, às vezes, quando ela insiste em fazer xixi nas calças todos os dias ou toma detergente, é impossível não perder a paciência. Ao mesmo tempo grave e divertido, leve e profundo, doce e mordaz, O livro de Julieta é, acima de tudo, a tentativa de uma mãe de atravessar a distância que a separa de sua filha e adentrar seu território, enxergando-a exatamente como ela é.
Tradutor: PEIXOTO, RODRIGO
Editora:  EDITORA PARALELA
Edição: 1ª - Ano: 2012

Nenhum comentário: