É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

29 de mai de 2013

Filha da Floresta

Título: Filha da Floresta

Coleção: Trilogia Sevenwaters, v1

Autor:  Juliet Marillier

Tradutor:  Yma Vick

Editora: Butterfly

Ano de Lançamento: 2012

Número de páginas: 608

Avaliação do Prosa Mágica: 7(*)


Este será um post um pouquinho diferente, na verdade bastante. Eu tenho uma relação quase espiritual com os livros que leio. É claro que há aqueles que eu não gosto e deixo de lado, mas eu tenho “faro” para bons livros.
Estabeleço dois tipos de relação com os livros: Totalmente emocional, ou seja, quando eu falar sobre ele não haverá grandes discursos teóricos; Há também aqueles em que mesclo a emoção com a razão. Para eles as resenhas são mais detalhadas.
Filha da Floresta, de Juliet Mariller é um dos livros que pertencem a primeira categoria, o que significa que é muito difícil falar sobre eles sem uma carga de emoção forte. Além disso, Juliet Mariller consegue fazer uma trama que nos impossibilita uma análise detalhada já que, expor esta análise seria destruir a leitura de alguém que ainda não iniciou a trama. Eu teria que colocar spoilers, e isso seria imperdoável.
Vamos aos fatos. A história é baseada no Conto dos irmãos Grimm chamado Os Seis Cisnes. Para quem não se lembra, o conto nos apresenta seis irmãos e uma irmã que são isolados em um castelo para que não sofressem nenhum mal da madrasta. Mas a mulher descobre como encontrá-los e os transforma em Cisnes, apenas os homens. A menina consegue fugir e recebe a tarefa de confeccionar camisas para seus irmãos usando urtigas (há algumas traduções que usam o termo estrela d’água, mas não consegui descobrir que planta é essa) e a promessa de ficar calada, não emitir nenhum som, nem riso, nem nada durante o período em que estiver fiando. Só assim ela conseguirá libertar os irmãos da maldição.
Filha da Floresta usa este conto como trama principal da história, mas está recheada de mitologia celta, de druidas, das forças da natureza e de como o ser humano, em tempos remotos, vivia em harmonia com o mundo.
Você percebe também, que mesmo não sendo intencional, há uma referência a destruição dos povos nativos europeus, como os celtas, pelas invasões de romanos, bretões etc. Quem conhece um pouquinho da cultura celta sabe que os romanos dizimaram o povo e impuseram sua religião, fazendo com que hoje nos chegasse pouquíssima informação sobre este povo que vivia em harmonia com a natureza, possuía uma sociedade matriarcal e mágica.
Sorcha começa a história como uma menina, uma criança muito inteligente e dotada de poderes curativos e comunicação com os seres da floresta, mas que é protegida pelos irmãos mais velhos. Depois, ela começa a demonstrar sua força e sua coragem ao aceitar uma missão dolorosa e cruel para salvá-los. Ela abdica de si mesma para que seus irmãos possam viver novamente.
Capa em Inglês
Depois, quando Sorcha precisa fugir de sua amada floresta e acaba protegida por um bretão, a autora nos mostra com habilidade e competência que a menina virou mulher; que a personagem é tão abnegada que não percebe o amor que floresceu dentro dela.
Mais uma vez Juliet leva Sorcha ao sentimento de perda para finalmente perceber que agora, ela é uma mulher adulta, forte e poderosa. Há cenas tão bem descritas que te levarão as lágrimas, mas também há passagens que irritarão profundamente.
Há defeitos no livro, não só na péssima revisão, que em alguns trechos chega a faltar palavras em uma frase, mas também na trama que começa lenta demais, e os espíritos mais afoitos desistirão da leitura se não forem persistentes.
Percebe-se que é intencional, mas as cem primeiras páginas precisam ser lidas como uma introdução ao que virá quase como um prólogo. Resista a elas e você pode ter certeza que não se arrependerá.
Outro detalhe é que a autora deixou muitos assuntos sem resolver, inclusive a fuga da madrasta com o oitavo irmão da família, mas isso talvez se deva ao fato de que o Filha da Floresta é o primeiro livro da série Sevenwaters.
Fora do Brasil, a série tem seis livros (Filho das Sombras; Child of Prophecy; Heir to Sevenwaters; Seer of Sevenwaters; Flame of Sevenwaters). Aqui, ela está sendo tratada como trilogia, e não tenho ideia se lançarão os seis livros já prontos da autora.
Filha da Floresta é um livro emocionante, para ser lido e relido. Não é uma história para crianças, mas pode ser lido tranquilamente por um adolescente. Mas, são os adultos que tirarão dele sua essência e poderão degustar toda a magia que reverencia a vida e o amadurecer.
Se você ainda não leu, vale a leitura.

(*) Não se espante com a nota dele. Filha da Floresta como trama merece 9, mas os erros de revisão que atrapalham a leitura e a lentidão para acontecer a trama resultaram no sete.


Livros Relacionados:
As Brumas de Avalon – Marion Zimmer Bradley
Filho das Sombras – Juliet Mariller


Nenhum comentário: