É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

23 de jul de 2013

O Filho das Sombras

Coleção:  Trilogia Sevenwaters, v2

Autor: Juliet Marillier

Tradutor: Yma Vick 

Editora: Butterfly

Ano de Lançamento: 2013

Número de páginas: 608

Avaliação Prosa Mágica: 8

A vantagem de se começar a ler uma Trilogia anos depois do lançamento do primeiro livro – A Filha da Floresta – é que você pode sentir uma emoção maior lendo, ou toda a obra de uma vez, ou neste caso os dois primeiros livros. Isso pode ser um benefício ou um problema.
Filho das Sombras, de Juliet Marillier é a continuação do livro A Filha da Floresta. Para quem não se lembra, Sorcha, uma filha de Sevenwaters se sacrifica para salvar seus irmãos transformados em cisnes pela feiticeira Oonagh. Nesta jornada ela conhece Hugh de Harrowfield, se apaixonam e casam-se. Filho das Sombras se passa anos depois, quando ambos já integrados totalmente a vida da região e cuidando de seus três filhos Niamh, Sean e Liadan se veem as voltas novamente com o retorno do mal.
Mais uma vez é a força de uma mulher, Liadan, que move a trama. Criada em um ambiente de paz e prosperidade, de repente ela se vê envolvida com um mercenário durante um sequestro, e desta convivência nasce um amor profundo e um filho: - Johnny.
Liadan terá que escolher entre seguir as ordens dos Seres da Floresta, ou escolher seu próprio caminho orientada pelas vozes dos Seres Ancestrais, da qual ela acredita ser descendente. Uma escolha que poderá colocar em risco toda a sua vida, ou salvá-la.
Confesso que fiquei em dúvida, se gostei mais do primeiro ou o segundo livro, mas sem dúvida nenhuma Liadan é muito melhor que a personagem Sorcha. Ela é uma mulher verdadeira, uma pessoa que não é apenas forte, mas tem suas fraquezas e dúvidas; não é apenas um ser assexuado, como algumas mulheres vêm sendo descritas na literatura, mas Liadam é mulher, é guerreira, é mãe, é apaixonada, enfim, é uma pessoa que poderíamos encontrar na vida real. É essa realidade mesclada a fantasia que encanta em Filho das Sombras.
Juliet é uma escritora talentosa, criativa e hábil ao demonstrar as frágeis e intricadas relações familiares. Ela apresenta os dramas e os problemas com uma sutileza, com a leveza necessária para pintar o quadro de famílias que não mais existem hoje.
Capa em Inglês
O segundo livro foi escrito de forma que esperemos avidamente pelo terceiro, diferentemente do primeiro, que pode ser lido como obra única.
O nome também confunde e instiga. Quem é o Filho das Sombras?
- O mercenário Bran, que caiu na vida errante devido aos maus tratos quando criança. Cujos sentimentos de perda e abandono o cerca com sombras,não só do passado, mas em todo o seu ser.
- Ou será que o filho das sombras é Ciarán, druida, filho de Oonagh, com uma pequena mas importante aparição na trama? Para quem não se lembra, a bruxa teve um filho com o senhor de Sevenwater. O meio-irmão de Sorcha,  foi criado por Conor entre os druidas. Ele aparece na trama no inicio, se apaixonando por Niamh, sua sobrinha e depois desaparece até surgir novamente como salvador da irmã de Liadan e como um ser misterioso que a ajuda e parece transitar entre a sombra e a luz.
Sorcha conta sobre um sonho, sobre uma sombra que acompanha Liadam, e ela não consegue ver quem é. Então você fica pensando que é Bran, mas depois imagina ser Ciarán e pode ter a certeza que terminará de ler o livro sem ter esta certeza.
O que eu gosto mais em Juliet Marillier é a capacidade de descrever, não só a natureza, os cenários, mas as emoções de forma instigante, sem excessos, sem formas cansativas, sem deixar o leitor se perguntando o porque de tantas palavras. Por que Juliet não economiza nem desperdiça palavras, elas aparecem na justa medida para causar emoção.
Li muitas resenhas internacionais negativas a respeito da trama. Muito exigentes com a autora, e confesso excessivas em suas cobranças. O fato de Filho das Sombras não ter sido escrito com base em algum conto antigo, como foi Filha da Floresta, não desmerece em nada a criatividade da autora em nos envolver com sua trama que nos leva a uma viagem aos Celtas da Irlanda, muito pelo contrário. É muito mais fácil escrever uma história baseada em algo que já existe. A Lenda dos Seis Cisnes já foi base para livros e filmes, O difícil e criar algo do nada, algo que prenda o leitor e o faça querer devorar a trama até o fim, de forma ávida e desesperada. É isso que faz um grande livro, e neste ponto Juliet Mariller é mestre absoluta.

Livros Relacionados:
As Brumas de Avalon – Marion Zimmer Bradley
Filha da Floresta – Juliet Mariller
A Filha da Feiticeira - Paula Brackston

Copyright © 2013 - Soraya Felix

Imagem do site da autora

Um comentário:

Roberta disse...

Me deixou curiosa para saber mais sobre os livros. Agora que muito ler!! bjs