É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

6 de jan de 2014

Drácula Apaixonado

Autor: Karen Essex
Tradutor:  Márcia Alves
Editora: Record
Ano de Lançamento: 2010
Número de páginas: 390
Avaliação do Prosa Mágica: 8


- Quantos livros sobre vampiro você já leu desde que Stephanie Meyer lançou a saga Crepúsculo? De todos os livros que sucederam esta saga quais deles conseguiram ser realmente diferentes? – Eu só li dois, e um deles é Drácula Apaixonado da autora norte americana Karen Essex.
Talvez dizer que este livro é sobre um vampiro seja absoluto exagero, assim como esperar muito romance. É por isso que Karen surpreende. Drácula Apaixonado é antes de tudo, uma sutil discussão sobre o papel da mulher na sociedade inglesa nos anos de 1890. É isso que ela nos traz de interessante, nos inserindo em um contexto em que as mulheres eram quase mercadorias e sofriam duras penas quando se rebelavam.
Então, dentro deste contexto, Karen nos traz Mina Murray, uma bela jovem que contem em sua essência todos os atributos desejáveis a uma mulher submissa daquela época, e por isso talvez ela nos pareça excessivamente fraca, frágil e irritante. Uma perfeita antítese do que nos mulheres queremos ver retratado em um livro. No entanto, ela encanta por isso, por que é verdadeira, real, uma heroína que pode ser encontrada nos dias de hoje.
Outro fator inusitado é que o livro demora para acontecer, mas isso não é um ponto negativo. Se Karen nos apresentasse o misterioso Conde de corpo e alma logo no inicio, o livro perderia a graça. Ela vai nos dando doses homeopáticas dele, em cenas realmente marcantes até que Mina e o Conde dominam uma parte emocionante do livro.
Então, Karen nos surpreende mais uma vez. Você não espera o final que ela apresenta, por que ele não é comum, por que ele incomoda; e incomoda por que talvez nenhuma de nós mulheres tivéssemos a capacidade de perdoar alguém que nos permitiu uma agressão sem tamanho. Mas, outra vez chamo atenção para a história. Ela se passa em 1890 e não em 2014.
Há erotismo no livro, mas não o erótico barato de Cinquenta Tons. Em Drácula Apaixonado o erótico é visto como libertador, como uma alavanca de mudança da mulher na sociedade. Não há sexo por sexo e sim relações íntimas que completam o amor.
Também há muita mitologia, muitas referências culturais a lendas antigas que povoam o imaginário europeu, e isso dá um toque todo especial a trama.
Então você acaba o livro se perguntado:
- O Conde é realmente o Drácula?
- Será esta a real história dos vampiros?

Não tenho a resposta, apenas a recomendação: - Leia, se delicie e depois volte aqui e me conte o que sentiu.

Nenhum comentário: