É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

25 de fev de 2014

12 anos de escravidãoI

Direitos de imagem PROSA MÁGICA
Autor: Solomon Northup
Tradutor:  Drago
Editora: Seoman
Ano de Lançamento: 2013
Número de páginas: 232
Avaliação Prosa Mágica: 7

O Livro foi escrito em 1853, mas é tão atual que merece uma leitura contextualizada da atualidade.
Lançado pela editora Seoman, 12 Anos de Escravidão nos conta a vida de Solomom Northup, negro, cidadão nova-iorquino, culto, casado, com filhos e violinista, que teve sua vida revirada de cabeça para baixo quando aceita um emprego que não existia e acaba sendo drogado e transformado em escravo. Passou 12 anos penando nas plantações de algodão da Lousiania até conseguir ser libertado.
Você pode estar se perguntando o que uma trama assim tem de atual?
A escravidão humana não acabou. Ela ainda existe no drama das mulheres que são levadas como escravas sexuais, nas crianças que trabalham nas carvoarias e nas milhares de pessoas que vivem neste planeta sendo exploradas, sem direito a palavra, a ir e vir e as necessidades mais básicas que são inerentes a raça humana.
Pois bem, quando se fala de escravidão, não se está apenas falando sobre os negros que foram arduamente maltratados, mas de todos os escravos que permearam a história da humanidade.
Neste caso específico, é a autobiografia de Solomom,  e isso nos leva a duas análises críticas do livro: - a primeira trata do conteúdo da obra em si; a outra nos fala da linguagem e da qualidade como texto.
Não foi uma tarefa fácil escrever esta resenha. A trama, por ser real, choca e nos causa horror. É possível muitas vezes nos ver ali, na situação de Solomom e se perguntar: - O que eu faria? – Não há resposta para isso.
É uma leitura extremamente pesada, não só pelo conteúdo, mas pela qualidade do texto que não foi escrito para  ser lido como um romance, mas como um diário, um desabafo, um alerta ao ser humano para que a escravidão fosse extinta. Há partes que eu senti a necessidade de rabiscar e reescrever de tão precária a forma de se comunicar. Mas, não se engane com esta afirmação. A tradução está perfeita. Consegui alguns trechos em inglês pela internet e o trabalho da Editora está perfeito.
Confesso que precisei, muitas vezes, deixar o livro de lado por horas pela absoluta impossibilidade de continuar a submeter meu cérebro a tanta tortura, dor e desespero. Além disso, a leitura é extenuante.
No entanto, eu considero 12 Anos de Escravidão leitura obrigatória para se conhecer nossa história, por que quem conhece a história pode evitar que fatos degradantes como esse ocorram no futuro.

Ler 12 Anos de Escravidão é como levar um “soco” no estômago. Tudo em fica, revirado, mas você nunca mais será o mesmo depois dele.
Recomendo a leitura.



2 comentários:

Camila disse...

Olá, Soraya.
Recentemente li "A Invenção das Asas" e acho que estou um pouco saturada sobre o tema da escravidão! Não me animei muito em ler outro livro, mas amei a resenha!
Beijos
Camis - Leitora Compulsiva

Soraya Felix disse...

Camila, obrigada. Também acho que o tema escravidão ficou um pouco "ultrapassado". Acho que não conseguiria ler mais nada sobre o tema. bjs