É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

18 de fev de 2014

As Memórias Perdidas de Jane Austen

proibido a reprodução sem citar a fonte

Autor: Syrie James
Tradutor: Claudia Mello
Editora: Record
Ano de Lançamento: 2013
Número de páginas: 320
Avaliação Prosa Mágica: 8

Confesso que nunca fiquei tão perdida diante do prazeroso trabalho de resenhar um livro. Talvez perdida não seja a palavra exata, seria melhor perplexa. A história é tão verossímil e ao mesmo tempo burlesca que torna impossível um julgamento isento.
As Memórias Perdidas de Jane Austen da autora norte-americana Syrie James é um livro construído com base nos romances da escritora Jane Austen e parte de suas memórias. Só que Syrie nos dá muito mais.
A autora consegue ser ao mesmo tempo genial e simplória; criativa e totalmente comum. Em alguns momentos a história é banal demais e em outros, extremamente contundente. Por isso é difícil definir.
Uma pergunta permeará sua leitura: - Este livro é um romance ou uma biografia? – Sim, ele é um romance, mas durante a leitura você terá a impressão que é uma biografia, de tão real. E neste ponto que esta a genialidade da escritora.
Por outro lado, o excesso de referências, mesmo que justificadas, irrita. Não havia a necessidade de citar tantas vezes “Orgulho e Preconceito” e “Razão e Sensibilidade”. A trama por si só já nos remete aos dois romances da autora real. Não havia a necessidade de fazer expressamente a comparação dos personagens da trama de Syrie com a de Austen, não da forma expressa como foi realizada.
Há uma questão interessante que permeia a obra: - O que você seria capaz de fazer por amor? – A resposta de Syrie pode frustrar o leitor, mas não deixa de ter um apelo emocional forte para o lado caridoso e “bem comportado”.
Os amantes da prosa da escritora Jane Austen terão neste romance todas as referências a obra dela, com uma pitada do talento de Syrie, que muitas vezes parece ser a reencarnação da própria autora. É claro que isso é um exagero. Syrie é na verdade uma grande fã e pesquisadora da obra da autora, e isso se reflete claramente em sua escrita.
Agora, se você não sabe da impossibilidade do Sr. Ashford na vida da escritora real, você acreditará que ele existiu, já que o personagem é uma mistura bem feita do Sr. Darci (Orgulho e Preconceito) e Edward (Razão e Sensibilidade). Pena que Syrie não foi generosa e deu outro fim a este romance. Eu teria feito diferente.
Os últimos capítulos são de tirar o fôlego. Não dá para respirar enquanto o livro não termina e quando você chega lá no fim, tem vontade de mudar a história. Isso é ruim? – Não. Eu sempre acreditei que um bom romance é feito de contradições. Por que a vida é feita de contradições.
É interessante pensar que Jane Austen tenha vivido um amor tão forte e contundente. Isso explicaria a maestria de sua pena ao descrever casais como Elizabeth e Darci. Tem profundidade, tem sentimento, tem conexão com a sociedade que a autora Jane Austen viveu.
Se você é fã da autora, vale a pena ler este livro. Talvez por que Memória Perdidas seria sem sombra de dúvida, a biografia que gostaríamos de ler na vida real; ou talvez por que você possa vislumbrar em um só volume trechos magnífico de Jane Austen (Esqueça os excessos).
O que eu mais gostei na trama? – O processo do “tornar-se escritora” da Jane Austen da ficção. É um retrato fidedigno do processo que boa parte dos escritores passam em inicio de carreira. As dúvidas, as incertezas, as mudanças que não tem fim...
Jane Austen se tornou imortal por que soube retratar a realidade com tal fulgor e profundidade, que sua alma permaneceu em suas obras. Ela foi original, inovadora.
Talvez Syrie encontre em si mesma, motivos para escrever um romance totalmente seu, sem referências. Talento para isso ela possui de sobra.


2 comentários:

Camila disse...

Olá, Soraya!!
Acredita que nunca li um livro da Jane Austen?! É um crime, né?!
Mas sempre que leio algo relacionado a ela fico doida para ler seus livros!
Beijos
Camis - Leitora Compulsiva

Soraya Felix disse...

Camila, não acredito!! Jane Austen é maravilhosa. Leia Orgulho e Preconceito, mas por favor, não leia a tradução da Landmark que está lamentável. Creio que a da Penguin está muito boa, Para quem nunca leu nada dela, este é um dos melhores livros para começar. Adoraria ver uma resenha dele no seu blog. bjs