É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

22 de abr de 2014

Cidade da Meia Noite

Autor: J.Barton Mitchell
Tradução: Flávia Cortês
Editora: Jangada
Ano de Lançamento no Brasil: 2014
Ano de Lançamento do Livro: 2012
Número de páginas: 445

Avaliação Prosa Mágica: 8


Cidade da Meia Noite é um livro inusitado e de certa forma inovador. Foi o acaso que o colocou em minhas mãos e agradeço a esta força que me levou ao seu encontro.
Confesso não ter gostado dos dois primeiros capítulos: - excessos descritivos, parágrafos curtos demais, elementos que se fossem cortados não fariam diferença alguma na trama.
No entanto, de repente, J.Barton Mitchell se torna um gigante, como se houvesse finalmente encontrados os trilhos de sua criação. Então, você descobre que é absolutamente impossível parar de ler o livro.
Cidade da Meia Noite é uma encruzilhada de gêneros. É ficção científica, sem dúvida, mas também é realismo fantástico com toques de distopia. Além disso, você tem a sensação inicial de ler um livro para adolescentes com uma temática adulta, que vai crescendo em profundidade conforme a história se desenrola.
- Para quem ele escreveu este livro?
É a pergunta que fica ao final do último parágrafo. A única resposta plausível é que Cidade da Meia Noite foi escrita para amantes da boa literatura.
O livro fala de uma invasão alienígena nos Estados Unidos (Você fica sem saber se o mesmo ocorreu em outras partes do mundo). Quando os aliens chegaram, os adultos da Terra de repente foram dominados por um fenômeno chamado Estática (Tone em inglês, que poderia ter sido traduzido como Voz.). Todos, ao mesmo tempo se transformaram em uma espécie de Zumbi e caminharam em direção a um único ponto. O que aconteceu com eles? – Ninguém sabe.
No entanto, crianças e adolescentes não sofrem o efeito da Estática, mas apenas até que se tornem adultos, quando são enfim dominados e seguem sempre para o mesmo lugar. Além disso, apenas algumas pessoas não são dominadas, e essas são chamadas imunes.
Oito anos depois da invasão você conhece Holt, um jovem imune, caçador de recompensas. Ele está à procura de Mira, uma Bucanera, cuja cabeça está a prêmio na Cidade da Meia Noite. É obvio que o encontro dos dois é eletrizante. Ambos possuem segredos, dores, medos e acabam se ligando de uma forma inesperada.
Em meio a tudo isso, Holt encontra Zoey, uma estranha garotinha que não se lembra de seu passado e que aos poucos começa revelar poderes estranhos.
É depois que Zoey entra na vida de Holt e Mira que as coisas começam a acontecer, e ambos veem sua vida ser virada de pernas para o ar. Os Confederados – como são chamados os aliens na trama. – os perseguem ao mesmo tempo em que lutam entre si. O que aquela garotinha tem para provocar tamanho estrago?
Você segue a trama suspenso por uma tensão que não se dissipa no final. O livro faz parte de uma série chamada “Saga da Terra Conquistada” que já está no terceiro volume fora do Brasil. Então, agora só nos resta ficar na torcida para que o segundo e o terceiro saiam rapidamente aqui, para que você possa avançar mais um pouco nesta história e talvez vislumbrar seu final.
Cidade da Meia Noite tem tudo para fazer muito sucesso aqui no Brasil. Michell é um mestre em criar no papel coisas que só podemos ver nos filmes e isso faz de seu livro algo especial, algo que me deixou feliz, por que mais uma vez fui surpreendida.
Se você não leu, corra para a livraria.





2 comentários:

Camila disse...

Olá, Soraya.
Ainda não conhecia esse livro, mas parece ser do tipo que eu gosto!!!
Fiquei bem curiosa agora!!
Beijos
Camis - Leitora Compulsiva

Soraya Felix disse...

Oi Camila, O livro é muito bom mesmo e mais uma série para nos deixar ansiosos pelo próximo. Ele foi lançado em Abril e tenho certeza que você vai gostar.
Depois que ler me conta.
bjs