É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

21 de out de 2014

Túneis da Morte

Autor: Niel Bushnell
Tradutor: Denise de C. Rocha Delela
Editora: Jangada
Número de páginas: 280
Ano de Lançamento: 2014
Título em Inglês: Sorrowline #1
Avaliação do Prosa Mágica: 8

Quando eu penso que já vi tudo em termos de literatura, aparece um escritor com uma ideia genial, algo que eu mesma gostaria de ter escrito.
Em Túneis da Morte (Sorrowline), o primeiro livro da trilogia Necrovias (Timesmith Chronicles), o autor inglês Niel Bushnell nos conta as aventuras de Jack, um garoto solitário, órfão de mãe, e prestes a ficar longe de seu pai e ir morar com uma tia desconhecida. No entanto, a vida dele vira de ponta cabeça, e Jack acaba viajando no tempo para 1940, em meio a uma Londres destruída pelos bombardeios da segunda Guerra, para encontrar seu avô Davey ainda jovem que o “ajudará” a entender e controlar seus poderes.
Isso tudo por que Jack descobriu de uma hora para outra que tem a capacidade de andar no tempo através dos túmulos de pessoas mortas, as necrovias. Mas não é só isso, o garoto consegue fazer coisas que nenhum outro viajante jamais conseguiu. Isso tudo somado a uma profecia, dá o tom desta trama eletrizante.
A ideia de escrever uma história cujo viajante pudesse acessar outros tempos através dos túmulos de pessoas já mortas é fascinante, não só pela originalidade, mas pela alentadora ideia de que é possível ao ser humano se conectar a tudo o que já existiu, por que cada um de nós deixa um registro indelével na caminhada da vida.
Cemitério de Whitechapel 
Túneis da Morte brinca com a física e derruba tabus. O reencontro de Jack com ele mesmo é um exemplo claro da originalidade da obra. Outro detalhe é o vai e vem temporal que o garoto faz, e a cada retorno, a época que seria a mesma parece diferente.
Você tem a sensação de pular de dimensão em dimensão, como as camadas de uma cebola. Em cada uma delas existe uma parte do Jack: - o menino solitário do primeiro capítulo; o garoto assustado que encontra o avô já idoso; o menino surpreso que volta a 1940; o jovem que retorna duas vezes a 1813 e o quase maduro Jack que vai a 2008 rever sua mãe e finalmente desvendar os mistérios.
Dá um nó na cabeça, por que ao longo da leitura você percebe que as ações que estão acontecendo não são novas, elas já aconteceram, e você fica se perguntando onde tudo isso começou.
A sucessão de mundos apresentada em diversos níveis segue uma tendência literária voltada ao espiritual. É fantasia sim, mas o autor nos deixa entrever vida após a morte, reencarnação e outros temas.
Londres 1940 - Bombardeio
Há personagens deliciosos, dentre eles a paladina Eloise, minha favorita. Uma morta-viva, que renasce do poder de uma espada e atua como fiel escudeira de Jack. Gostaria de ver mais sobre ela na continuação. O avô do garoto, Davey é outro personagem interessante. Ele é complexo, difuso, com duas personalidades que se complementam. Ora você se irrita com ele, ora se enternece. Davey parece ser o fruto de uma sociedade preconceituosa, um menino de rua que sofreu horrores quando criança e que ao chegar à vida adulta possui falhas de caráter que o tornam alguém sem valores pessoais.
E o Papão! O famoso monstro do armário, que em Túneis da Morte, se apresenta como arquiteto dos mundos e alguém que habita os pequenos cômodos da casa e pode transportar qualquer coisa de uma casa a outra, sem que ninguém veja. Fiquei apaixonada por eles.
Neste primeiro livro da Trilogia Necrovias não vai faltar emoção, susto, medo, suspense para quem gosta de um bom thriller. Também não faltarão subsídios para quem gosta de ficção cientifica e toda a reflexão que ela exige ao se lida.
Túneis da Morte é um livro infantil, mas é adulto também, e isso é outra surpresa que Niel nos preparou.
O que nos espera em Timesmith, o segundo livro da trama? É só aguardar, pois a Editora Jangada prometeu o livro para breve.
Aguardando!!!






2 comentários:

Camila disse...

Que bacana, Soraya.
Fiquei super empolgada para ler essa trilogia, mas acho que vou esperar pela publicação de todos os livros!
Beijos
Camis - Leitora Compulsiva

Soraya Felix disse...

Oi Camila, esta trilogia é muito boa mesmo. Não estava muito entusiasmada para ler, mas quando comecei não consegui parar. Vc vai gostar.
bjs