É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

13 de jul de 2015

Jardim de Inverno

Autor:  Kristin Hannah
Tradutor: Sylvio Deutsh
Editora:  Novo Conceito
Número de páginas: 416
Ano de Lançamento: 2010
Avaliação do Prosa Mágica:  9
                             

Este livro tem uma história de idas e vindas. Começei a ler Jardim de Inverno no ano passado, antes de viajar para Londres. Interrompi a leitura por que decidi que não levaria nada em português para lá. Depois, quando voltei esqueci-me do livro.
Tempos depois, recomecei e parei novamente. Creio que isso aconteceu umas três vezes. Este ano, depois de ler muitos livros bons decidi recomeçar, e foi a melhor coisa que poderia fazer.
Talvez, se soubesse a profundidade da trama não tivesse levado tanto tempo para ler.
A autora Kristin Hannah nos leva a uma viagem dolorida que vai dos Estados Unidos e volta para a Rússia de Stalin. Annya nos leva a mergulhar em uma Leningrado cercada de medo e dor. Uma cidade onde pessoas eram pegas no meio da noite e sumiam para nunca mais serem vistas. Depois ela nos mostra uma Leningrado sob o cerco dos alemães. Um povo sofrido sem alimento, sem socorro, apenas com a força de sobreviver ao golpe comunista e depois a guerra.
- Que mulheres forte, corajosas e reais!!!
Na trama eu gostei imediatamente de Nina, filha mais nova de Anya. É a determinação de Nina em cumprir uma promessa feita ao pai que moverá os fios da trama.
Cerco de Leningrado - Foto internet
Anya e um personagem que você vai desvendar. Em boa parte da trama ela parece ser uma pessoa sombria, uma bruxa má que não gosta de crianças e não ama as filhas. Ela se esconde o tempo todo sob o véu dos contos de fadas. Mas, de repente, o véu vai caindo e você se surpreende com ela.
Jardim de Inverno é devastador, tão forte e profundo como uma tempestade de inverno. A autora não nos poupa de detalhes cruéis, que ora nos deixa estarrecidos, ora paralisadas e ora tão emocionados que é quase impossível não sentir que tudo aquilo é real.
E, quando você acha que a autora já nos ofereceu tudo o que tinha para dar, você descobre que tem mais, e o que vem surge na violência de um bólido em altíssima velocidade.
Não dá para ficar indiferente a trama. É profundo demais.
Creio que Jardim de Inverno fecha um ciclo de livros que nos apresenta revelações fantásticas que são fruto de segredos de família.
Não pense que é um livro fácil, pois não é. Jardim de Inverno é uma retrato fiel das desventuras humanas e do terror que as pessoas vivenciam em face da sede de poder e o fanatismo de alguns.
Este livro é um convite a reflexão. Convido vocês a vivenciarem esta experiência e depois me contarem como foi.


Nenhum comentário: