É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

30 de set de 2015

TEMPESTADES DE SANGUE

Trilogia Fortaleza Negra #2
Autor:  Kel Costa
Editora:  Jangada
Número de páginas: 304
Ano de Lançamento: 2015
Avaliação do Prosa Mágica:  8


Pouco mais e um ano atrás, fui surpreendida por Fortaleza Negra que a principio acreditei ser uma tradução, para em seguida descobrir que era fruto da criatividade de uma autora brasileira: - Kel Costa. E agora, finalmente pude ler a continuação daquela história alucinante sobre vampiros.
Após a guerra contra os mitológicos, quatro dos Mestres viajam em busca de Rurik, na tentativa de os destruírem antes que eles provoquem mais mortes entre os humanos. Enquanto isso Sasha fica sozinha, sem a grande amiga Helena e sem Mikhail, que viajou sem dar notícias. Enquanto espera pelo seu amado, Sasha continua se metendo em encrencas, e desafiando o único Mestre que ficou na Fortaleza: - o enigmático Klaus.
Sasha percebe também que seu “amigo” Blake é um traidor, e se junta a ele para descobrir todas as informações que forem necessárias para proteger os Mestres, e é claro que ela acaba se envolvendo em enrascadas.
Kel Costa consegue surpreender novamente. E, no momento em que o livro parece estar decepcionando, você percebe que tudo tem uma razão de ser, que não é por acaso que Sasha é irritantemente infantil durante parte dos capítulos até a página cem; que não é desmotivado o fato de Tempestades de Sangue ser tão diferente de Fortaleza Negra a ponto de parecer outra história.
Neste momento, Kel Costa abre seu laboratório alquímico e faz a mistura exata de Mikhail e Sasha e a trama ganha velocidade, recebe energia e começa a desvendar os fios da tessitura que permeiam a trama.
Em Tempestades de Sangue nada é permanente. Parece que a autora nos colocou diante de espelhos que destorcem a visão dos personagens. Ora ela os introduz na trama, ora ela os retira. E é neste breve instante que você os enxerga de verdade.
Klaus se sobressai e confesso que gosto muito mais dele que o mestre bonitão. Já estava gostando dele mesmo antes das revelações sobre sua vida e sobre novas facetas que o vampiro nos apresenta.
Nikolai aparece bem mais na trama, e finalmente é possível traçar um perfil de seu caráter.
Agora, todo o show é dado por Kurt, amigo de Sasha, que passa a ter uma participação mais profunda na trama. É em Tempestades de Sangue que percebemos de Kurt é muito mais que as “gracinhas” e as boas tiradas que ele vinha apresentando na trilogia. Ele se apresenta como alguém frágil, inteligente e com uma densidade de caráter que surpreende.
Tem outra personagem que me deixou intrigada: - Irina, mãe de Sasha. – O livro deixa a sensação que ela tem muito mais a contar. Que o fato de Sasha ser tão forte em determinados pontos, tem alguma ligação de família com a mãe, que é Russa. Mas isso é uma impressão, não uma constatação.
O livro termina, e no final você quer “bater” na autora pela ousadia em nos deixar em suspense. – Como é que ela termina o livro desta forma? Como ela pode ser tão “Klaus” e nos deixar meses a fio sem saber o que vai acontecer?
Espero que a Jangada lance logo a continuação, por que não sei se conseguirei aguentar muito tempo sem saber o que acontece com os personagens depois do último e bombástico capítulo. Confesso que precisei ler três vezes as últimas páginas para acreditar no que estava vendo.

Vou repetir. Kel Costa pode e deve ser traduzida para o inglês. O livro dela será um sucesso em terras estrangeiras, não tenho dúvidas disso. Enquanto isso, estou torcendo para que Tempestades de Sangue faça tanto sucesso aqui quanto Fortaleza Negra está fazendo.

Um comentário:

Kel Costa disse...

Soraya, fiquei encantada com a resenha! Só tenho a agradecer pelo carinho e pelos elogios. Obrigada! E espero que a continuação consiga te surpreender ainda mais <3

Bjs,
Kel