É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

21 de dez de 2015

Então é Natal

Presente confeccionado a mão.
Quando me dei conta já estava no hoje. Há apenas poucos dias do Natal e um pouco mais para mudar o calendário. Nossa! Como tudo passou rápido. Como o tempo pareceu acelerar como se eu estivesse, de repente, em uma dobra do espaço prestes a mergulhar em universos diferenciados. Não deu nem tempo de reler O Conto de Natal, de Charles Dickens, ou de pensar em uma história gostosa para presentear meus leitores. Pisquei os olhos e.... então é Natal.
E, por que será que o tempo está tão rápido? Por que será que a vida parece escorrer por nossos dedos como se fosse areia de uma ampulheta quebrada?
Confesso que há varias respostas para isso. Algumas são físicas – o tempo realmente mudou suas medidas – e a outras que abrangem o campo de percepção, do psicológico e do mental. Eu prefiro acreditar nos últimos itens.
O mundo anda mais depressa por que nós caminhamos mais rápido. Temos mais coisas para ver, temos mais emoções para sentir. Temos mais preocupações e muito mais coisa que deveríamos esquecer. Há mais coisas para olhar... na internet, no celular, nas ruas São tantos estímulos que quase acabamos sem tempo para pensar.
Uma das poucas formas de nos desconectarmos de tudo isso é um pequeno grande prazer que temos em comum. Aquele momento que reverte o tempo e nos leva a viagens no passado, presente e futuro e a outras dimensões existentes. É o deleite de viver sendo você no outro. Chorar, sorrir, rir, se emocionar com situações que talvez não existissem se não fosse a magia dos livros.
Assim como vocês, o amor pelos livros supera nossa vontade. É o mundo gigantesco e paralelo que escolhemos trilhar. Alguns caminham apenas um mundo de cada vez. Outros, escolhem andar por dois ou três caminhos, como o gato de Alice. Muitas vezes, passei por tantos lugares ao longo de um único mês que as vidas dos personagens que li se misturam aos personagens da realidade que vivo e compõe um único viver que faz parte de uma existência repleta e rica de vidas.
Ler é quase tão bom quanto escrever. Ler e adotar, escrever é compartilhar. Quando escrevo acabo trazendo a vida pessoas que estão perdidas nas dimensões da criação, e que só existem por que um dia pensei nelas. O ato de ler alimenta cada um desses personagens com sua energia. A “bateria” do leitor.
Acho que fiz um pouco disso este ano. Fui leitora e escritora. E assim meu ano se passou em outra dimensão, ou pelo menos parte dele.
Talvez você tenha feito isso. E por esta razão se questione onde esteve o restante do ano?
Eu poderia listar aqui, mas cada um trilhou seu caminho.
Desejo a você meu leitor, um Natal repleto de sonhos, de personagens da vida real e da extra dimensional. E que você possa compartilhar a boa e deliciosa sensação de Ser, o que a sua criatividade permitir.
Que a prosa mágica da literatura perdure no seu dia a dia.


beijos

2 comentários:

Camila disse...

Feliz Natal, amiga!!
Muitas felicidades!!!
Beijos
Camis - Leitora Compulsiva

Soraya Felix disse...

Obrigada Camila. Feliz Natal e um Ano recheado de livros.
Bjs