É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

20 de fev de 2016

E lá se vai Umberto Eco para o panteão dos escritores imortais

Foto captada via Google

Foi-se embora para escrever em outras paragens. Muito mais que um intelectual, muito mais que uma referencia acadêmica e cultural. Morre um escritor, um contador de estórias que encanta, que envolve e que nos inebria com sua capacidade.

Autor de livros como O Pêndulo de Foucault, O nome da Rosa e o belíssimo Apocalípticos e Integrados, Eco é uma referência nos estudos da arte, semiologia e escrita.

Deixa conosco toda sua obra, e um vazio literário que não será preenchido tão rapidamente.

O bom de ser escritor é isso. Seu corpo se foi, seu espírito cumpriu sua meta, e nós ficamos com os ecos de seu pensamento, genialidade e inventividade.


Que sejamos eternamente bons leitores de suas obras.

Nenhum comentário: