É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

21 de set de 2016

As Vidas Impossíveis de Greta Wells

Autor:  Andrew Sean Greer
Tradutor: Rosane Albert
Editora:  Jangada
Número de páginas: 256
Ano de Lançamento: 2016
Avaliação do Prosa Mágica:  7


Quando a Jangada lançou este livro, fiquei super curiosa para ler. A vida de Greta me pareceu um entrelaçado de alternativas, e uma novidade quando se trata de livros que abordam a temática de viagens no tempo. Não foi tão surpreendente quanto imaginei, mas é com certeza diferente do que vem sendo escrito.
A personagem Greta está diante de um luto duplo em sua vida: a morte do irmão e a dolorosa separação. Diante de um estado depressivo ela aceita ser tratada com eletrochoque, e o tratamento irá provocar estranhos fenômenos na personagem.
Toda a trama parece uma corrida de Greta para descobrir em qual alternativa de tempo tudo dará certo para ela e para o irmão. É como se o autor acreditasse que é possível existir fisicamente opções de vidas que cada um de nós poderá acessar, bastando para isso encontrar a chave.
O mais estranho é que o autor leva Greta para tempos difíceis, rodeados de Guerras, pestes, AIDs, tempos em que fatalmente a personagem encontrará somente dificuldades em sua vida. Ele dá uma sensação de que não existem alternativas para ninguém, que escolha o caminho que escolher, sempre acontecerá algo que o levará direto a situação indesejada. É fatalista.
Andrew me lembrou de A Mulher do Viajante do Tempo, outro romance que trata de viagens, mas que pega uma estrada que eu considero perigosa e monótona. A diferença é que as mãos de Andrew são mais hábeis, e você sabe exatamente a hora em que Greta irá mudar de tempo. Sem invencionices ou dobras temporais.
Não é um livro que flui na leitura, no entanto é interessante para quem adora aventuras conectadas com viagens no tempo. Greta é uma personagem inteligente, apesar de sua fragilidade e por que não dizer “maluquice”, quando aceita um tratamento agressivo para sua depressão.
Outro fato marcante é a escrita repleta de detalhes, quase fotográfica do autor, que nos coloca diretamente na cena dos fatos, mesmo que isso signifique um salto de 100 anos na história. Por isso mesmo é um livro charmoso que nos mostra uma Nova York em diversos períodos da história, com todos os seus problemas e todas as suas belezas.

Um comentário:

Camila disse...

Oi, Soraya.
Gosto bastante desse tipo de livro que aborda viagens interdimensionais... Outro dia li um livro mais juvenil assim e adorei.
Você comentou sobre o A Mulher do Viajante do Tempo que é um livro que eu amo e achei curioso... Senti que você não gostou muito! rs...
Mas agora fiquei curiosa para ler esse livro da Jangada!
beijos
Camis - Leitora Compulsiva