É proibido a reprodução das resenhas ou qualquer outro texto do blog sem a prévia autorização por e-mail do autor, e sem os devidos créditos.

9 de jan de 2018

Origem

Autor:  Dan Brown
Tradutor: Alves Calado
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 432
Ano de Lançamento: 2017
Avaliação do Prosa Mágica:  9


Começar o ano publicando uma resenha como esta é um privilégio, não só por que considero Dan Brown um gênio da literatura – essa é minha opinião – como as reflexões que este livro nos proporciona são absolutamente construtivas.
Existe mesmo um Deus ou ele é criação do intelecto humano? De onde viemos? Para onde vamos? Se levarmos em conta a teoria de Charles Darwin, para onde a humanidade está evoluindo? São estas questões que perturbaram e ainda incomodam religiosos e filósofos, que movem a trama de Origem.
Alias, o nome Origem nos remete a denominação pela qual os acadêmicos conhecem a grande obra de Charles Darwin “A Origem das Espécies” e que parece ser a base desta história.
Dam Brown está cada vez mais hábil em nos envolver. É quase impossível descobrir a informação antes do tempo, ele apenas nos dará este alívio no final do livro. Você terá que ler até o fim para saber quem matou Edward.
A discussão entre ciência e religião é muito antiga e já levou muitos homens e mulheres geniais para a fogueira. No entanto, em Origem ela tomará uma proporção diferente. E, o mais importante, a história tem uma lógica e coerência  impressionante com os fatos,  não uma mera ficção sem base.
Quando você “ouve” os argumentos e finalmente descobre qual é a grande descoberta de Edward, fica perplexo, por que ele está certo, absolutamente coberto de razão. É só sair para as ruas e perceber que tudo o que ele diz é factível.
Não se trata de distopia – confesso estar cansada deste gênero literário - nem tão pouco ficção cientifica. Dan Brown assume o papel de seu personagem, e torna-se o futurólogo que antevê o futuro que nos espera. É emocionante!
Gostei das referências, que vai de Hall, o computador de “2001 uma Odisséia no Espaço” a obra de Isaac Asimov. As citações de frases do grande primeiro ministro Inglês Winston Churchill também são marcantes, inteligentes e contundentes como analise do mundo atual.
No entanto – e eu adorei isso – mesmo com tantas cenas de ação, Origem é muito mais um livro filosófico, reflexivo, antenado com conceitos modernos do disruptivo, conectivo e tecnofuturismo. É uma leitura que empolga, emociona e por que não dizer, nos modifica ao final.

É um livro que estou torcendo para ver nas telas do cinema.

4 comentários:

Camila disse...

Oi, Soraya!
Fico muito feliz em te ver de volta!
Meus sentimentos pela sua mãe!
Sobre o livro, também achei que tudo faz bastante sentido nas argumentações do autor, só senti falta das pistas a serem desvendadas por Langdon! Nesse ponto achei o livro mais fraco da coleção!
beijos
Camis - blog Leitora Compulsiva

Desafio fora do padrão disse...

Voltou com a corda toda. Parabéns pelo resenha. Com poucas linhas você despertou, com certeza, a vontade de conhecer este livro ao todos os seus leitores. Abraços
Luis Antonio

Soraya Felix disse...

Oi Camila, obrigada. O autor modificou um pouco o estilo de nos apresentar a trama. Confesso que gostei desta novidade.
Bjs

Soraya Felix disse...

Obrigada Luis. Você precisa ler este livro.
Bjs