Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2011

Quem ama a leitura não faz pirataria de livros

Vou iniciar aqui uma campanha, que valoriza não só os escritores, as editoras, mas a atitude correta e cidadã de cada um de nós. E não podemos esperar menos que isso de quem ama a literatura. Saibam que a Pirataria é um crime que chegou com força na literatura. Todos os dias, sites disponibilizam gratuitamente downloads de livros recém lançados, como se eles fossem o “Robin Hood” dos tempos modernos. Rá! Grande piada! Eu digo piada porque sob a falsa impressão de “divulgação do direito de ler” se esconde um crime, que poderá chegar a destruir a própria literatura. Só o custo de preparação de texto, revisão, diagramação e impressão de um livro simples, de 392 páginas, tamanho 16x23 cm (Crepúsculo tem este tamanho) não saía por menos de quinze mil reais em 2010. Isso significa dizer que para repor os gastos o livro deveria ser vendido a quinze reais. Só que não podemos esquecer que há os direitos autorais dos escritores, que variam de 10% a 20% no Brasil; o custo da distribuição, a comis

Razão e Sensibilidade

Jane Austen é um ícone da literatura inglesa, de tal grandeza talvez só comparada a William Shakespeare. Praticamente sem a descrição de um único beijo ou abraço mais ousado, as cenas de amor são marcantes, extremamente fortes e eternas. Ela nasceu em Steventon, Inglaterra no final do século XVIII e morreu no início do século XIX, em uma vida curta, simples e repleta de engenhosidade. Não se sabe muita coisa sobre ela, o que não é estranho, já que a mulher, na época, tinha um papel muito secundário na sociedade, funcionando muitas vezes como uma “bolsa de valores”: quanto mais alto o dote, mais alto o padrão de marido que encontraria. Jane Austen foi uma destas figuras que transgrediu os padrões através de sua arte. Sua engenhosidade só foi reconhecida no século XX, quando se percebeu que ela tinha sido a precursora do romance feminino. Seus livros são de fácil leitura, ao contrário do que muitos dizem. Mas, não se engane. Os textos são bem elaborados, repletos de metáforas e mensagen