Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2010

Promessa não é dívida

Programa de Direitos Humanos dá até arrepios para quem presta atenção as incansáveis tentativas de retorno a censura. Eu prometi que em 2010 não escreveria nada sobre política, nem uma linha sequer. A sensação de dar murros no escuro é muito grande quando a nata da falta de juízo faz parte do poder. Eu pensava – o que pode um bloguezinho tão pequenino como o meu fazer? Nada!!! Promessa feita, promessa não cumprida. Não dá para ficar calada quando se discuti as nossas costas um Programa de “Direitos Humanos” que tem tudo para ser um grande instrumento de CENSURA, que em nada se parece com Direitos Humanos. Verdades a parte, tenho a impressão que se o Brasil não tivesse instrumentos tão fortes de repressão à Ditadura, este ano teríamos uma surpresa à lá Hugo Chaves. Não sei....é só minha imaginação trabalhando. Desde quando invasor de terra tem que ter algum direito? Desde quando as empresas de comunicação têm que ser classificadas pela programação? Como é que se define que um cana

Maravilhas da Literatura

A história de como eu fui "mordida" pela Saga Crepúsculo . Eu ganhei um presente de Natal incrível, muito mais do que eu mesma poderia supor. Todo mundo que me conhece bem sabe que o melhor presente que eu posso receber é um livro, dos bons, daquele que você não consegue parar de ler, seja ele ficção, poesia, ou sobre literatura, arte e filosofia. Ganhei os quatro livros da Stephenie Meyer, saga Crepúsculo. A principio, antes de ter os livros, eu me achava na obrigação de ler a série principalmente para entender um pouco o porquê do tamanho sucesso de público e crítica, só isso. A surpresa veio rápida, pois é quase impossível parar de ler antes do capítulo final. A autora é realmente um vampiro do bem que suga todo nosso ser dentro das páginas memoráveis. O ritmo da história é eletrizante sem ser “hollywoodiana”, como grande escritora ela manipula a dose de emoção do leitor até levá-lo as raias do estresse. Você para de respirar em muitas cenas, literalmente; você sofre

A lâmpada de Aladim

130 anos depois da invenção da lâmpada elétrica, exatamente como a conhecemos hoje, ela finalmente irá para um museu. Já que a forma mais simples de começarmos a contribuir com o meio ambiente e nosso orçamento é trocar todas as lâmpadas da casa. Segundo dados, uma lâmpada incandescente de 60W pode ser substituída por uma de 18W, do tipo compacta, reduzindo consideravelmente o consumo de energia elétrica. Já está chegando ao mercado as lâmpadas de LED com bulbo, que cabem em qualquer abajur e luminária de nossas casas. Ai sim, a economia é muito maior já que os mesmos 60W da incandescente podem ser obtidos com apenas 8W da lâmpada de LED. Elas são mais caras que as incandescentes, mas a médio e longo prazo vale o investimento. Não só pelo retorno financeiro, mas pela diminuição do uso de energia elétrica e seu conseqüente impacto no meio ambiente. As incandescentes estão fadadas ao desaparecimento. Na União Européia elas terão que ser substituídas até 2012, nos Estados Unidos o

A década da sustentabilidade

Salve, salve 2010! Salve o ano zero da economia limpa, como profetizou a revista Veja. E que todos os santos e deuses digam “assim seja” para esta previsão. Apesar do pessimismo que impera depois de Copenhague, o mundo caminha para décadas de consciência planetária. E, venhamos e convenhamos, não foi tão ruim assim a reunião do COP15. Mais alguns dias e a meta de emperrar o crescimento dos países emergente como o Brasil seria atingida. É como diz o velho ditado “a corda sempre arrebenta do lado mais fraco” e nós, o lado fraco pagaríamos a conta do excessivo desenvolvimento de países como os Estados Unidos. É claro que precisamos de metas de redução de CO2, reaproveitamento de lixo, recuperação da natureza devastada, uso consciente da água, da energia e responsabilidade ambientas, mas isso já ficou mais que provado, que não se consegue com reuniões dispendiosas, regadas a muitos quilômetros de vôos (e emissão de CO2) e excessivo contingente de segurança para os lideres mundiais. U