Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2010

Redenção

Imagem do ano: traficantes no Rio de Janeiro acuados, fogem. O que se viu no último final de semana no Rio de Janeiro foi um exemplo no combate a praga que são os traficantes de drogas. É impossível não reconhecer o esforço conjunto em combater a criminalidade gerada pela drogas na cidade maravilhosa. As possíveis críticas como “por que não fizeram isto antes?” devem se submeter à absoluta verdade dos fatos: - agora foi feito e bem feito. Já estava na hora de isto acontecer. Mesmo em face de fatos óbvios como “só existe traficante por que há usuários de drogas”, o que não deixa de ser uma verdade, a demonstração de força do poder público, refletida claramente na imagem dos traficantes fugindo desesperadamente para o Complexo do Alemão, começa a colocar o tal aclamado ponto final na pouca vergonha que se tornou o país possuir um poder paralelo, quase um país a parte. É preciso que a polícia de todo o país, principalmente a de São Paulo fiquem atentas, pois muitos deles poderão tentar s

Uma avalanche de emoções em Harry Potter e as Relíquias da Morte

Quando o filme começa, a expectativa que os fãs possuem é muito maior, talvez, que o retorno em imagens. Esta é a regra para qualquer filme que levanta platéias através de suas sucessivas partes (Senhor dos Anéis, Crepúsculo etc). Com Harry Potter e as Relíquias da Morte isto não ocorreu. O público leva de presente já na primeira sequência, cenas absolutamente bem construídas no clima exato de medo, terror e expectativa que a história demanda. A música tema Hedwig’s Theme e o logo da Warner são as únicas e exclusivas referências aos outros filmes, pois o restante é absolutamente profundo, adulto e intrincado. O diretor David Yates e o roteirista Steve Kloves conseguiram finalmente captar toda a trama dos livros de J.K.Rowling e passar para as telas sem invencionices e acréscimos desnecessários. Você já sabe que o filme será diferente quando vê Hermione, em uma interpretação magnífica de Emma Watson, apagando a memória de seus pais para que não corram riscos. É dolorido, triste, angusti

São Paulo terá balada literária

Qual é o verdadeiro significado da palavra Balada? Quem já não ouviu a expressão: “vou para a balada”. Agito, encontro com amigos, algo informal e agradável. Não poderia haver nome melhor para a 5ª edição da Balada Literária. Um evento sem protocolos, sem cerimônia e pompa. Um encontro para quem gosta de literatura e não precisa mais que um bom livro para ser feliz. A 5ª Balada Literária ocorrerá em nove pontos da região da Vila Madalena e Pinheiros, todos gratuitos. A abertura do evento acontece na Livraria da Vila. Às 11h, a homenageada do ano, a escritora Lygia Fagundes Telles, irá bater um papo com seus leitores. A atriz Leandra Leal irá ler trechos de obras de Lygia. Destaques do Evento: 18/11 11h: Encontro com Lygia Fagundes Telles (participação da atriz Leandra Leal). Na Livraria da Vila (Rua Fradique Coutinho, 915. % 3814-5811) 20h30: Lançamento da nova editora Edith, seguido de show com a cantora Fabiana Cozza. Lançamento do livro ‘A Matadora de Orquídeas’, da poetisa Analu

30 mil livros espalhados por Madri

A salutar atividade chamada bookcrossing, atingiu a cifra de 30 mil livros distribuídos na cidade de Madri em pontos estratégicos. A ideia é muito simples. Os livros, devidamente acondicionados em sacos plásticos são deixados para que outras pessoas os leiam e passem para frente. Uma espécie de corrente salutar de cultura. A Biblioteca Mario de Andrade tem um projeto semelhante e há também o Livro Livre. Não tenho ideia de como isso funciona no Brasil, apenas a experiência engraçada de largar um livro dentro do metrô e o passageiro sair correndo atrás de mim para devolver. Mas, o conceito do projeto é que importa. Em um país onde o índice de leitura é muito baixo, o que reflete nas parcas tiragens denossas edições, que influi na remuneração do autor e na sobrevivência das editoras e consequentemente no preço final do livro, o bookcrossing poderia ser uma forma de ajudar na formação de novos leitores, que mais tarde serão consumidores diretos, que aumentarão a demanda por exemplares o q

Todos queremos ser jovens

Ser jovem para sempre é um desejo coletivo, mas quando avaliamos a mente de quem deseja está juventude, encontramos pensamentos pré-concebidos, sentimentos de "sei tudo". Jovem experimenta novas coisas, corre riscos, ri e chora a toa. Não tem medo da liberdade. Achei este vídeo no YouTube, muito bom sobre ser jovem.

Monteiro Lobato e o debate sobre o racismo

De tempos em tempos surgem leis, decretos, pareceres que parecem ser fruto do excesso de tempo de seus propositores ou da falta de conhecimento de seus avaliadores. Não é o que aparente ser o caso do veto a história de Monteiro Lobato, “Caçadas de Pedrinho”. Em primeiro lugar porque Lobato é unanimidade nacional, e cada um dos membros do Conselho Nacional de Educação fez uso de suas historias quando criança. Em segundo lugar por que é um disparate considerar a obra de Monteiro Lobato racista. Não tenho dúvidas de que a nova ordem lingüista em relação a termos antigamente usados, foram extremamente positivos para iniciar uma sociedade politicamente correta. O CNE erro duas vezes. Na primeira acolheu um parecer preconceituoso, que demonstrou claramente a falta de conhecimento e compreensão da literatura nacional de seu propositor. Na segunda vez, quando falou que a obra só poderia ser usada com profissionais competentes que soubessem fazer a contextualização dos termos. Em que mundo vive

Duro golpe na democracia

A anunciada eleição de Dilma Rousseff como presidente do Brasil trouxe uma nuvem para o país. Um futuro incerto, conduzido por alguém que tem perfil ditatorial e péssimas relações com a imprensa. Golpe na democracia por que o povo demonstrou absoluta incapacidade de avaliar candidatos sem os parâmetros do assistencialismo, que inutiliza a pessoa como ser humano, ao invés de ajudá-la. Assistencialismo que está criando uma legião de pessoas que preferem a ajuda do governo aos parcos salários pagos no país. Governo que ao invés de melhorar e incentivar os empresários a contratar e pagar mais os trabalhadores prefere dar “esmolas”. Infelizmente não posso comemorar a eleição da primeira presidente mulher do Brasil, por que percebo que será um fracasso, e isso nos colocará cada vez mais na berlinda das críticas e do preconceito. Venceu a mentira, a ilusão, um “boneco” criado pelo atual presidente, retornando em nossa memória a vitória de Collor. A história é a mesma, só mudou o partido. Fina