Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2020

Live no meu Instagram

Rappi abre espaço para os livros

PublishNews, periódico focado no mercado editorial, acaba de publicar que fechou uma parceria com a plataforma Rappi que irá beneficiar editores e livreiros. As livrarias e editoras poderão vender seus livros através da plataforma, e nós leitores poderemos pedir um livro e receber em casa em até 60 minutos (É o que a Rappi promete). Nem só de comida vive o ser humano. Particularmente estou adorando a ideia, por que não gosto de esperar por dias a entrega de um livro, e quase sempre prefiro ir a livraria física para comprar e retornar com ele em casa. E, em tempos de isolamento social, que a meu ver ainda vai longe, ter a opção de escolher um livro e recebê-lo em 60 minutos é algo de extremo valor. Veja detalhes da notícia aqui .

Dia Mundial do Livro

Foto webpage Lello - Escadaria. Vamos falar de amor! Amor aos livros, a leitura. Escolhido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o dia 23 de abril é comemorado em todo o planeta como Dia Mundial do Livro. A data foi escolhida por ser o aniversário de morte de 3 autores peso pesados: Miguel de Cervantes, Inca Garcilaso de la Vega e William Shakespeare. Nesta data, todos são convidados a reverenciar a literatura mundial, a incentivá-la e a fazer uma reflexão da importância no ato de ler e também sobre os direitos autorais do escritor, algo muito controverso e desrespeitado nestes tempos de virtualização da comunicação. Para comemorar a data escolhi uma ação efetivamente pró-leitura. Algo que me encantou como leitora. A livraria Lello do Porto, Portugal, abriu “o primeiro drive thru livreiro do mundo”. Neste período de quarentena, a livraria oferece um livro por dia, que é escolhido e publicado antecipadamente nas Redes Soci

Tudo vai passar

Diante desta desgraça geral, com tantas mortes no mundo e no Brasil, pode parecer estranho um blog falar de leitura, de romance, de ficção, de sonhos. Pode ter a certeza que não é. Do que é feita a vida, senão de sonhos tornados realidades? O que seria agora, dos milhões de italianos que estão em isolamento total em suas casas se não fosse o sonho, a esperança? - Tudo vai passar. Uma das maneiras mais ricas de se passar um momento como esse é a leitura.   O livro é a porta aberta para o mundo que não podemos caminhar; são os abraços que não podemos dar; são os familiares que não podemos encontrar; são pessoas diferentes com as quais podemos dialogar, mesmo que em um primeiro momento pareça que estamos exercendo um monologo. Você pode optar por dialogar com escritores mais contemporâneos, que nos apresentam uma linguagem atual. Talvez uma conversa regada a saquê com Murakami com “histórias bizarras que gravitam no limite do realismo fantástico” como explica Felipe Massahiro.

Prosa de Quarentena

Li muito este ano, muito mais que li no ano passado inteiro, mas venho sofrendo de inconstância literária, o que significa que muitas vezes leio 500 páginas em 2 dias e outras, levo dois meses para ler 100. Neste exato momento estou na segunda alternativa, o que significa que a leitura de O Silmarillion segue devagar. Confesso que deixei de lado a paranoia de me obrigar a ler um monte de livros por causa do blog. Leitura é puro prazer, é amor ao texto, é observar as entrelinhas, e se deliciar com as formas como o autor mistura e brinca com as palavras, e isso não pode ser feito em um ritmo frenético. Posto esta explicação necessária, seguimos com o tema de hoje. A pandemia provocada pelo coronavírus no mundo e no Brasil. Entrei de quarentena (Isolamento Social) no dia 23 de março, junto com a minha amada cidade São Paulo. Até o dia 14 de abril trabalhei como uma condenada na preparação de aulas para os meus alunos – fato que não reclamo, pois confesso ter gostado muito desta