Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2010

Papo de Pescador, vendedor

É preciso capitular muitas vezes. Não leio quase nada que recebo por e-mail, tão abarrotada de correntes, piadas, PPS que chegam a minha caixa de entrada. Depois de duas ou três semanas você aprende a separar o joio do trigo sem precisar abrir tais arquivos. De vez em quando aparece algo que vale a pena, por um motivo ou outro. O texto que copiei na integra abaixo chegou hoje. A história é muito boa, quase uma crônica. Um exemplo de força de vontade, de inventividade e criatividade que o ser humano pode ter. Infelizmente, como boa parte de tudo o que corre pela internet, o nome do autor não é citado. Vale a leitura. "Você é um bom vendedor ? Um garotão inteligente, vindo da roça, candidatou-se a um emprego numa grande loja de departamentos da cidade. Na verdade, era a maior loja de departamentos do mundo, tudo podia ser comprado ali. O gerente perguntou ao rapaz: - Você já trabalhou alguma vez? - Sim, eu fazia negócios na roça. O gerente gostou do jeitão simples do moço e disse:

Rumos Itaú Literatura 2010-2011 abre suas inscrições

Em sua quarta edição, o programa Rumos Literatura é dirigido aos interessados em desenvolver textos reflexivos sobre literatura e crítica literária brasileira contemporânea. A novidade desta edição é a possibilidade de estrangeiros, residentes fora do Brasil, também se inscreverem. O programa busca colaborar no desenvolvimento de potencialidades ao estimular a formação do interessado em literatura na ampliação de sua rede de relacionamentos intelectuais e profissionais e, posteriormente, lançar e divulgar uma publicação com sua produção autoral. O programa Rumos Literatura 2010-2011, conta com o apoio da Anpoll - Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e em Lingüística (http://www.anpoll.org.br/site/) e da ABRALIC - Associação Brasileira de Literatura Comparada (http://www.abralic.org/). O edital está dividido em duas categorias: 1. Produção Literária, para projetos de ensaio que tratem de um tema relativo à produção literária brasileira a partir do início dos anos 1

Livro amigo e os amigos

Livros são amigos inseparáveis. É claro que existem aqueles que vão embora, desaparecem como por mágica, em uma mudança, nas mãos de amigos que nunca mais veremos. Eu, particularmente, tenho uma lista dos que se foram para nunca mais voltar. Uma edição de Morro dos Ventos Uivantes, das Edições de Ouro, década de 70. Partiu em busca de novos horizontes, ou talvez estantes mais organizadas que a minha. Também tem um trio, que adoro até hoje, que passaram pelas mãos de colegas de trabalho que nunca mais devolveram. Espero que eles não tenham sido relegados ao lixo. São os queridos “Dimensão Oculta”, “O ponto de mutação” – este com centenas de comentários pessoais, reflexões sobre o texto - e o outro “O Tao da Física”. Uma velha amiga me disse que livros vão embora quando outras pessoas precisam deles, quando eles não exercem mais função nenhuma conosco. Confesso que não concordo com isso. Se assim fosse, pessoas como José Mindlin, nunca teriam formado uma biblioteca que hoje engrandece no

Brasil será destaque na Feira de Frankfurt

Representantes do Ministério da Cultura e da Feira do Livro de Frankfurt assinaram um protocolo de intenção que prevê o Brasil como país-tema da Feira de Frankfurt, a maior feira do livro do mundo e o mais importante encontro do mercado editorial internacional. O Brasil será o destaque desta feira em 2013. É a segunda vez que isto acontece e será muito bom para as trocas interculturais e negócios para o país. Este ano o destaque da feira será a Argentina, e será realizada entre 6 e 10 de outubro.

Saramago

O mundo está mais vazio. Saramago se foi para outro plano, fazer outras literaturas. O mundo, este que nós vemos todos os dias ficou sem ele. Mas, a obra de quem vai sempre fica. Saramago mudou a forma de escrever Apenas brincando com as palavras quebrando tabus. Salve! Saramago. Depois de sua obra, o mundo ficou mais rico as palavras mais felizes a literatura mais crítica Eu sei que é obvio: Morre o autor mais sua obra vive para sempre.

Bloomsday - O dia de se comemorar James Joyce

“Um homem genial não comete erros.” Stephen Dedalus Fui apresentada a obra de Joyce muito nova, ainda sem a leitura suficiente para apreciar um virtuose. Assim como um vinho de colecionador, envelhecido por décadas, Joyce precisa ser degustado com respeito, paciência e apuro no “paladar”. Não dá para ler James Joyce sendo apenas leitor de adaptações. Para ler Joyce como se deve, é preciso apreciar primeiro os clássicos, passando pelos gregos como Homero, Dostoiévski, Shakespeare, Camões, Guimarães Rosa, Victor Hugo, Flaubert, Ibsen dentre outros. E isto não acontece aos 14 anos, nem aos 20. Você precisa de pelo menos 40 anos, sendo um ávido leitor, para entender a luz e a experimentação que vem da obra dele. James Augustine Aloysius Joyce, um legitimo aquariano nascido em 2 de fevereiro, veio ao mundo na Irlanda, terra de escritores memoráveis e de uma criatividade sem limites. O que, com certeza, contribuiu para a qualidade de sua obra composta por romances, teatro, contos e poesias.

Bibliotecas em busca de empresários

Por que não entrar para o primeiro mundo pela porta da frente? A Lei 1.244/2010, sancionada neste mês, determina que toda escola tenha um acervo de livros de pelo menos um título por aluno matriculado (ainda abismada por uma coisa tão óbvia precisar de uma lei). As instituições terão 10 anos para se adaptar, tempo suficiente para sair mais uma leva de alunos das escolas sem ao menos poderem usufruir deste “benefício”. Na maioria dos países civilizados os acervos das bibliotecas são doadas por mantenedores, empresários, pessoas físicas que sentem prazer em colaborar para a melhoria de seu país. Aqui não. As bibliotecas provavelmente passarão por licitações demoradas e fraudulentas, que ao final de 10 anos ainda não terão suprido a necessidade de nem metade destas escolas. Então, conforme a pergunta que fiz no início deste post, por que não começamos a entrar para o primeiro mundo pela porta da frente? Por que os empresários, artistas, pessoas físicas não doam acervos para estas escolas?

Bree Tanner dá novos ares a Eclipse

Vale à pena a leitura de Bree Tanner. O livro esclarece muitas passagens obscuras de Eclipse, inclusive tirando da personagem Bree o título de “sedenta por sangue”. Além disso, a descrição de uma situação onde os Voltures são protagonistas esclarece de vez o caráter dúbio destes vampirinhos velhos e mandões. Depois de ler você terá a sensação de que a autora errou ao deixar que a personagem Bree Tanner fosse morta por Felix. Mas também deixa no ar uma pergunta: onde foi parar o recém-criado Fred? Ele não aparece no último livro. Provavelmente se perdeu no laptop da autora. Apesar desta pequena falha, vale a leitura pelo novo ângulo que se avalia a história.

Bree Tanner - A recém-criada da Saga Crepúsculo

Quem foi sugado pela série de Stephenie Meyer, Crepúsculo, tem pelo menos um bom motivo para correr as livrarias manhã. O lançamento de seu novo livro, A Breve Segunda Vida de Brre Tanner. Segundo a autora declarou para a imprensa o livro foi uma surpresa para ela: "Acabou por ser uma surpresa para toda a gente, porque eu nem sequer pretendia publicar esta história como um livro isolado. Comecei a escrevê-lo há já muito tempo, ainda antes do lançamento do filme do Crepúsculo. Nessa altura, Eclipse estava em fase de revisão e eu encontrava-me atolada, bem no cerne do meu mundo vampírico. Andava às voltas com o tema dos vampiros recém-nascidos, contemplando o seu ponto de vista, e uma coisa levou à outra. Comecei a escrever na perspectiva de Bree, da sua visão sobre aqueles últimos dias e de como se sentiria ela na sua recente condição." Quem leu Eclipse sabe que a vampira Victoria cria um exercício de recém-criados para destruir Bella e Edward, que aterrorizam a cidade de Sea

Belíssima Arte Popular

Santana do Parnaíba vestiu-se de cores para o feriado de Corpus Christi. Na força e criatividade de seus moradores. Em cada detalhe, em cada côr, em cada cena. A arte se faz nas mãos de quem sonha. Uma arte perecível, que se desmanchará ao pisar da procissão, mas que ficará na lembrança e nas imagens perpetuadas através dos anos. Eles não estão em uma Bienal, no entanto, sem muitos recursos realizam todos os anos o desejo: expressar através das formas e das cores o sentimento de Ser e a dúvida do não-ser. Santana do Parnaíba se veste de cores. Crédito de fotos obrigatório: Soraya Felix

Paulo Coelho em quadrinhos

Segundo o jornal O Globo, de 31 de maio, a Editora americana HaperCollins associada a inglesa Sea Lion, lançará a versão em quadrinhos do livro O Alquimista, de Paulo Coelho. Um dos maiores sucessos internacionais, O Alquimista já vendeu 65 milhões de exemplares no mundo todo.

Expansão do Português e a literatura nacional

É de se esperar que os falantes de língua inglesa aumentem no mundo, já que a posição ocupada pelo Francês durante muitos anos foi arrebatada pela língua pátria de Shakespeare. E não é só isso. As grandes universidades, toda a ciência, congressos, tecnologia falam o inglês. A notícia publicada pelo jornal O Globo (30/05) causou no mínimo espanto. Segundo a matéria, só nas escolas credenciadas pelo Itamaraty no exterior, os alunos matriculados em língua portuguesa pularam de 13 mil (2000) para 27 mil (2009). Foi relatado também um crescimento na procura por provas de proficiência. Tudo isso graças a projeção que o Brasil vem adquirindo no cenário mundial, tanto pela expansão comercial, relações cordiais, neutralidade, etc, como pelas trapalhadas, a exemplo da tentativa do Brasil de firmar acordos com o Irã, afrontando nitidamente os interesses mundiais. Deixando a política de lado e aprofundando um pouco mais o assunto, é claro que este aumento não se deu primordialmente em países europ