Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2012

Book trailer: Uma peça artística ou uma arma de marketing?

Outro dia fiquei me perguntando o porquê se fala tão pouco de book trailer, principalmente nos blogs de literatura? Sem resposta para a pergunta mergulhei em uma pesquisa na internet do que tem sido feito nestes últimos anos, e fiquei muito contente, e confesso perdida entre tanta coisa, que acabei passando uma tarde inteira vendo e avaliando esses materiais. A ideia do book trailer vem do cinema, só que diferentemente de lá, ele é elaborado com frases de efeito, imagens que remetam ao livro e música que possam criar o clima da trama. Funciona em alguns casos e é um desastre em outros. Como ferramenta de marketing é um item muito perigoso, pois precisa ser muito bem feito para funcionar. E isso significa que a equipe de criação da peça não poderá se basear única e exclusivamente na sinopse ou informações vindas dos editores, tem que ler o livro da primeira a última página . Vou exemplificar com dois book trailers que encontrei no youtube que resumem bem esta ideia:

Contista brasileiro Dalton Trevisan vence o Camões

Aqui esta um escritor brasileiro genial, que mereceu cada centavo do Prêmio Camões, recebido esta semana. Dalton Trevisan "foi reconhecido por sua contribuição para a arte do conto e seu trabalho com a linguagem concisa, que ele condensou ao longo de sua obras", conforme escreveu o informativo Publisnews em vinte um de maio. O prêmio Camões foi criado por Brasil e Portugal em 1988, para premiar nomes de relevância na literatura em língua portuguesa, e dá ao vencedor 100 mil euros (R$260.000). Dalton Trevisan é praticamente uma lenda na literatura nacional. Avesso a entrevistas, a super exposição na mídia e talvez por isso, não tão comentado como deveria ser. É considerado um dos maiores contistas vivos Brasileiros. Dalton Trevisan é apelidado de Vampiro de Curitiba, uma de suas obras mais instigantes e interessantes. Publicada em 1965, o livro é uma coletânea de contos narrados em sua maioria, na cidade de Curitiba, terra natal do autor, e com um unido narr

Como Legi Signo virou Prosa Mágica

Una re, una via, una dispositione. Uma matéria, um cadinho de terra refratária, um forno.(*) Não é a primeira vez que eu faço uma associação do texto, da criação, da literatura com a alquimia e não será a última. Nossa matéria é a palavra, nosso forno e a nossa mente e o cadinho de terra refratária está dentro de nós, trata-se de nossas experiências, nossas emoções, decepções e tudo o que acumulamos ao longo de anos e anos da experiência de viver. É todo este arsenal que se acumula dentro de nós, com determinadas proporções que as palavras vão usinando dentro do grande e magnífico forno chamado mente. A alquimia da palavra não teria sentido se não pudesse ser dividida com outras pessoas, degustada, dissecada e transformada por um terceiro, quarto, quinto que consegue fazer mais uma vez a transformação do individual, do único. Para que esta troca seja feita usamos plataformas. Começamos com as paredes das cavernas, passamos para as conchas, pequenas pe

A última carta de amor

Meus queridos e amados leitores, Foi muito difícil decidir o tom desta resenha. Em primeiro lugar por que me apaixonei pelo livro, em segundo, por que tudo o que li resenhado sobre a história (depois que fiz a leitura) não chega nem aos pés do que ela realmente trata. A Última Carta de Amor, de Jojo Moyes (Intrínseca) não é um livro romântico água com açúcar feito única e exclusivamente para nos deleitarmos com as histórias de amor. A trama nos fala sobre os dramas, as incertezas, os desencontros e reencontros que todos nós estamos sujeitos nesta vida. Quando vi este livro sendo lançado, nada me chamou a atenção. Nem a foto da capa, nem a sinopse e por isso mesmo não tinha lido as resenhas. Mas, como tudo tem sua magia na hora certa, semana passada, na minha livraria predileta, vi o livro exposto e fiquei deslumbrada com a capa e decidi ver do que realmente se tratava. Resultado: Chorei lendo as orelhas do livro. E, como o livro fala sobre cartas, vamos começar p

Lançamentos Nacionais - Maio

Aqui está uma pequena parte dos livros lançados no Brasil neste mês de maio. As sinopses estão na integra do que foi publicado nos sites das editoras, exceto as que possuem um asterisco, estas foram tiradas do site da livraria Cultura por estarem mais completas. Onde comprar: Você vai encontrar estes livros em todo o Brasil, mas sugiro a Livraria Cultura Os oito pares de sapatos da Cinderela José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta Neste livro, a história de Cinderela ficou um pouquinho diferente. Ela continua querendo muito ir ao baile e, sem ter o que vestir, conta com a ajuda mágica da Fada Madrinha. Mas e se ela fosse ajudada pela Fada do Verão? Iria de chinelos à grande festa? E se por acaso aparecesse a Fada do Inverno e inventasse de calçar botas em nossa gata borralheira? Com a interatividade promovida pelos autores, o leitor pode escolher o que acontece a cada momento na história. Cada detalhe é trabalhado para permitir que Cind

Lançamentos em Inglês - Maio

Every Day, Every Hour Natasa Dragnic A autora Natasha Dragnic lança um romance de estréia requintadamente romântico que capta o desejo de amores que são perdidos e reencontrados em um cenário dos anos 1960 na pequena cidade litorânea da Croácia. Duas crianças, Luka e Dora, se encontram em seu primeiro dia de jardim de infância. Luka desmaia ao ver Dora e ela o acorda com um beijo. Os dois se tornam inseparáveis. Ao longo dos próximos anos, eles podem ser encontrados vagando nas margens de sua cidade, ou simplismente deitados em sua rocha especial, até que os pais de Dora mudam-se para Paris. Luka se torna um homem solitário jovem, preso às necessidades de sua família, mas um pintor promissor. Em Paris, Dora floresce e se torna uma atriz de sucesso. Quando Luka vem a Paris para uma exposição de suas pinturas, um encontro ao acaso os coloca frente a frente. Agora adultos, eles redescobrem o amor, e seus sentimentos são dados por uma ressonante adoração compartilh

Novas Prosas

Este mês Prosa Mágica completa quatro anos aqui no blogspot. Anos deliciosos escrevendo sobre uma paixão chamada livros. Este blog surgiu em 2005 como Legi Signo e vagou por vários provedores e caminhou não só na literatura, mas pelo campo educacional. Eu comecei a me aventurar no mundo dos blogs com finalidade educacional, quando ministrava aulas de Teoria da Comunicação para alunos do curso de Criação Publicitária. Na época o uso do blog fazia parte de um projeto maior que infelizmente não foi colocado em prática por que a Faculdade em que dava aulas foi incorporada em um grupo maior e mudou o rumo da história. No entanto, como conhecimento não se joga fora mas nos recicla, acabei aqui, no Prosa Mágica, cada dia mais apaixonada por tecnologia. Prosa Mágica veio para o blogspot em 18 de maio de 2008. Para comemorar vou lançar algumas colunas novas que vocês encontrarão com as tags “Prosa Nova”, “Prosa Internacional” e “Páginas Soltas”. Prosa Nova -   De caráter

Esquece tudo agora

“Ele escolheu o progresso da alma. O acúmulo de boas ações, a felicidade, o agora. Nem o assombrava o passado, nem o atormentava o futuro. Meditava.” Assim começa o conto O Homem Feliz, de Marcelo Maluf, um refresco em meio aos questionamentos atormentados que permeiam o livro. Diante do leitor desfilam todos os tipos (ou quase) de seres humanos. Não os que estamos habituados a leitura, homens e mulheres semi perfeitos, que não falam e não fazem nada que não seja politicamente correto ou aceitável. No texto fluente e quase poético de Marcelo se desnudam mulheres mortas na calçada, ladrões, terroristas penitentes, monges e alguém que se lembra do único presente recebido de uma mulher chamada Abigail: Um pote de azeitonas pretas. Um dos mais ingênuos e poéticos de todos os personagens é o homem que se gaba de cortar a mortadela muito fina, quase um tecido transparente. Irineu Velásquez é antes de tudo um alter ego dos escritores, um homem que usa a precisão de sua n