Pular para o conteúdo principal

Hoje é Sexta-feira 13

Mau presságio? Superstição? Lendas? O fato é que a data provoca em muita gente arrepios. Este é o dia das trevas, dos monstros, vampiros e toda sorte de seres que assustam a humanidade desde os primórdios dos tempos.
Mas, onde surgiu a ideia que uma simples sexta-feira pode causar tantos danos as pessoas? A ideia mais comum é que a crença surgiu no catolicismo, devido ao fato de Jesus ter sido crucificado em uma sexta-feira e que na Santa Ceia havia treze pessoas, dentre eles um traidor.
Outra justificativa vem da mitologia nórdica. Segundo uma delas, houve um grande banquete onde 12 deuses foram convidados. Mas, como em toda a festa tem um penetra, Loki, o espírito do mal e da discórdia veio sem ser convidado e armou uma briga que terminou com a morte de Balder, o favorito dos deuses. É dessa lenda que vem a crendice de que não se deve convidar treze pessoas para um jantar. Preste atenção que as louças, talheres e guardanapos sempre vêm em jogos de 12 peças.
Segundo outra mitologia escandinava, a deusa do amor e da beleza era Friga (origem do nome sexta-feira). Mas quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo Friga, coitada, foi transformada em bruxa. Então, como vingança ela passou a se reunir todas as sexta-feiras com outras 11 bruxas e o demônio para ficar rogando pragas nos humanos.



 
Bienal Internacional do Livro
O fato é que essa sexta-feira, 13, trará muita sorte para São Paulo. A 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo abrirá suas portas ao público hoje e a coincidência não passou desapercebida pela organização, que programou, uma conversa com Zé do Caixão e um debate sobre o mito do vampiro na literatura.
Se você não puder ir a Bienal hoje curtir a programação da sexta-feira treze, é possível trazer o tema para dentro de casa.
Segue algumas sugestões de autores:
André Vianco
Bram Stoker
Anne Rice
Stephen King
Stephenie Meyer

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Inferno

Autor:  Dan Brown Tradutor: Fabiano Morais e Fernanda Abreu Editora:  Arqueiro Número de páginas:  448 Ano de Lançamento:  2013 (EUA) Avaliação do Prosa Mágica:   9                               Gênio ou Louco? Você termina a leitura de Inferno e continua sem uma resposta para esta pergunta. Dan Brown nos engana, muito, de uma maneira descarada, sem dó de seu leitor, sem nenhuma piedade por sua alma. O autor passa praticamente metade do livro te enganando. Você se sente traído quando descobre tudo, se sente usado, irritado, revoltado. Que é esse Dan Brown que escreveu Inferno??? Nas primeiras duzentas páginas não parece ser o mesmo que escreveu brilhantemente Símbolo Perdido e Código D’Vince.  Mapa do Inferno. Botticelli. Então, quando você descobre que está sendo enganado, assim como o brilhante Robert Langdon, a sua opinião vai se transformando lentamente, e passa de pura revolta a admiração. É genial a manipulação que Dan Brown consegue fazer c

Tudo vai passar

Diante desta desgraça geral, com tantas mortes no mundo e no Brasil, pode parecer estranho um blog falar de leitura, de romance, de ficção, de sonhos. Pode ter a certeza que não é. Do que é feita a vida, senão de sonhos tornados realidades? O que seria agora, dos milhões de italianos que estão em isolamento total em suas casas se não fosse o sonho, a esperança? - Tudo vai passar. Uma das maneiras mais ricas de se passar um momento como esse é a leitura.   O livro é a porta aberta para o mundo que não podemos caminhar; são os abraços que não podemos dar; são os familiares que não podemos encontrar; são pessoas diferentes com as quais podemos dialogar, mesmo que em um primeiro momento pareça que estamos exercendo um monologo. Você pode optar por dialogar com escritores mais contemporâneos, que nos apresentam uma linguagem atual. Talvez uma conversa regada a saquê com Murakami com “histórias bizarras que gravitam no limite do realismo fantástico” como explica Felipe Massahiro.

Setembro

Autor:   Rosamund Pilcher Tradução: Angela Nascimento Machado Editora:  Bertrand Brasil Número de páginas: 462 Ano de Lançamento: 1990 Avaliação do Prosa Mágica:   10                         É uma história extremamente envolvente e humana que traça a vida de uma dúzia de personagens. A trama se passa na Escócia, e acontece entre os meses de maio a setembro, tendo como pano de fundo uma festa de aniversário que acontecerá em grande estilo. Violet, que me parece ser a própria Rosamund, costura a relação entre as famílias que fazem parte deste romance. Com destreza e delicadeza, a autora   nos conta o cotidiano destas famílias, coisas comuns como comer, fazer compras, tricô, jardinagem. Problemas pessoais como a necessidade de um trabalho para complementar a   renda e outras preocupações do cotidiano que surpreendem pela beleza que são apresentadas. É um livro em camadas, que pode ser avaliado sobre vários aspectos que se complementam. Pandora, por exemplo, é o