Pular para o conteúdo principal

Para Sempre. Uma saga imortal

(spoilers)

Aqui estou eu, comentando mais uma vez um best seller americano que provoca arrepios nos mais puristas da literatura. Mas o fato é que sinopses a parte, e a deste livro não é muito boa, ou melhor, é péssima, Para Sempre (Editora Intrínseca, R$29,00), de Alyson Noël é bem mais que um simples best-seller escrito para os adolescentes.
É claro que não é um clássico, mas a história é empolgante e bem escrita.
Ever Bloom é uma garota feliz que tinha uma vida muito boa, com pais maravilhosos, uma irmã para brigar. Mas, um “acidente” mata toda a sua família deixando apenas ela viva.
Sem mais ninguém ela se vê obrigada a mudar de vida e morar com a única tia na Califórnia. A adaptação é difícil e na escola ela faz apenas dois amigos, Raven – uma menina chata e sem graça – e seu amigo Miles – esse sim um personagem que vale a pena.
Mas, ela mantém um grande segredo. Ao retornar de sua quase morte ela adquire poderes extra-sensoriais, e começa a ver a aura das pessoas, ouvir seus pensamentos e muitas vezes enxergar eventos futuros. É claro que isso é um fardo muito pesado para ela, que muda o comportamento e passa da “líder de torcida” para a garota mal vestida e invisível da escola.
Lá, ela conhece Damem Auguste, um garoto lindo, charmoso e que tem a capacidade de bloquear os poderes de Ever. É claro que um romance sairá destes contrastes.
O que ela não sabe, e nem os leitores, é que Damem é um imortal que vive sua eternidade em busca de seu grande amor mortal, a própria Ever, nunca concretizando esta união, pois ela sempre é assassinada por outra personagem imortal Drina.
Ao ler a história, lembrei-me do livro A Volta do Matusalém, de George Bernard Shaw, escritor irlandês que nasceu em 1856, que trata ao longo de suas páginas sobre a longevidade do ser humano. Também é possível se recordar de Highlander, dirigido por Russell Mulcahy em 1986, cujo protagonista é um imortal que luta para sobreviver já que “só poderá existir um”, fato que é citado no livro de Noël.
Em Para Sempre, alguns valores universais como a bondade, o perdão são tratados de forma criativa, ao lado da apresentação de fenômenos mediúnicos e das possibilidades de contato com o polissistema espiritual, muito bem apresentado pela personagem Riley, a irmã adolescente de Ever, morta no acidente, mas que se recusou a ir embora e agora vaga entre os planos espiritual e material.
Eu recomendo, mas leia sem preconceitos, pois a trama pode proporcionar uma tarde agradável e relaxante, sem as costumeiras irritações com péssimos textos que alguns destes best-sellers costumam nos “presentear”.



Série os imortais:



Para Sempre
Lua Azul
Shadowland (sem previsão de lançamento no Brasil)
Dark Flame (sem previsão de lançamento no Brasil)



Links:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Inferno

Autor:  Dan Brown Tradutor: Fabiano Morais e Fernanda Abreu Editora:  Arqueiro Número de páginas:  448 Ano de Lançamento:  2013 (EUA) Avaliação do Prosa Mágica:   9                               Gênio ou Louco? Você termina a leitura de Inferno e continua sem uma resposta para esta pergunta. Dan Brown nos engana, muito, de uma maneira descarada, sem dó de seu leitor, sem nenhuma piedade por sua alma. O autor passa praticamente metade do livro te enganando. Você se sente traído quando descobre tudo, se sente usado, irritado, revoltado. Que é esse Dan Brown que escreveu Inferno??? Nas primeiras duzentas páginas não parece ser o mesmo que escreveu brilhantemente Símbolo Perdido e Código D’Vince.  Mapa do Inferno. Botticelli. Então, quando você descobre que está sendo enganado, assim como o brilhante Robert Langdon, a sua opinião vai se transformando lentamente, e passa de pura revolta a admiração. É genial a manipulação que Dan Brown consegue fazer c

Tudo vai passar

Diante desta desgraça geral, com tantas mortes no mundo e no Brasil, pode parecer estranho um blog falar de leitura, de romance, de ficção, de sonhos. Pode ter a certeza que não é. Do que é feita a vida, senão de sonhos tornados realidades? O que seria agora, dos milhões de italianos que estão em isolamento total em suas casas se não fosse o sonho, a esperança? - Tudo vai passar. Uma das maneiras mais ricas de se passar um momento como esse é a leitura.   O livro é a porta aberta para o mundo que não podemos caminhar; são os abraços que não podemos dar; são os familiares que não podemos encontrar; são pessoas diferentes com as quais podemos dialogar, mesmo que em um primeiro momento pareça que estamos exercendo um monologo. Você pode optar por dialogar com escritores mais contemporâneos, que nos apresentam uma linguagem atual. Talvez uma conversa regada a saquê com Murakami com “histórias bizarras que gravitam no limite do realismo fantástico” como explica Felipe Massahiro.

Setembro

Autor:   Rosamund Pilcher Tradução: Angela Nascimento Machado Editora:  Bertrand Brasil Número de páginas: 462 Ano de Lançamento: 1990 Avaliação do Prosa Mágica:   10                         É uma história extremamente envolvente e humana que traça a vida de uma dúzia de personagens. A trama se passa na Escócia, e acontece entre os meses de maio a setembro, tendo como pano de fundo uma festa de aniversário que acontecerá em grande estilo. Violet, que me parece ser a própria Rosamund, costura a relação entre as famílias que fazem parte deste romance. Com destreza e delicadeza, a autora   nos conta o cotidiano destas famílias, coisas comuns como comer, fazer compras, tricô, jardinagem. Problemas pessoais como a necessidade de um trabalho para complementar a   renda e outras preocupações do cotidiano que surpreendem pela beleza que são apresentadas. É um livro em camadas, que pode ser avaliado sobre vários aspectos que se complementam. Pandora, por exemplo, é o