Pular para o conteúdo principal

O que é a vida??

O anúncio feito pela Nasa, em 2 de dezembro, traz um novo conceito sobre o que é a vida.
Até então, o conceito de vida limitava-se a uma composição restrita de seis elementos químicos – oxigênio, nitrogênio, hidrogênio, enxofre, fósforo e carbono – uma quantidade muito pequena se levar em consideração uma Tabela Periódica que contem, se não me engano, 118 elementos divididos em dez categorias.
A bactéria encontrada no lago Mono, Califórnia, é o primeiro “ser” com estrutura de vida diferente encontrada pelo ser humano. Mas, o que ele tem de diferente?
Ainda não se sabe por que, mas esta bactéria consegue processar o arsênio (número 33 ma Tabela Periódica – um semi metal), uma substância letal para todas as formas de vida conhecida até hoje.
Uma parte da estrutura de seu DNA possui o arsênio, ao invés do fósforo. Até hoje não se tinha notícia de algo parecido com isso.
Além da descoberta feita pela comunicativa cientista Felisa Wolfe-Simon da Nasa, ser um marco científico para a astrobiologia, suas implicações filosóficas nos faz transpor muito mais barreiras talvez que séculos de questionamento.
Hoje a questão “o que é vida”, já não pode mais ser encarada como antes. Não dá para ser datado nestas questões, pois por mais delirante que seja a pergunta, a base até ontem sempre foi a mesma: organismos que possuíam uma estrutura química semelhante. Agora a pergunta terá que expandir suas bases para outras composições, outras formas de vida nem imaginadas.
Então, esta “quebra de paradigmas” nos transforma. Einstein e Heisenberg, por exemplo, mandaram também seus recados com suas descobertas, o mundo mudou. A criação da Bomba Atômica criou o precedente do homem dominando a natureza. Saímos da história para viver um período de pós-história. Isso se refletiu nas novas pesquisas, no pensamento, nas revoluções, na arte, nos costumes.
Ontem, a cientista Wolfe-Simon afirmou que "Se algo aqui na Terra pode fazer uma coisa tão inesperada, o que mais a vida pode fazer que ainda não vimos? Agora é a hora de descobrir." Então, hoje não somos mais os mesmos.
Quebrou-se mais uma vez um paradigma, e nós seres humanos percebemos o quanto nossa visão de mundo é egoísta; o quanto ainda somos cegos para o mundo que nos cerca.
Quantos seres existem que ainda não enxergamos? Quantas formas de vida? Será esse o motivo por que ainda não encontramos vida fora da Terra? Se ainda não havíamos enxergado o que estava debaixo de nossos narizes, como podemos pensar em outros planetas?
São tantas as perguntas. Mas o correto a dizer é que, uma simples bactéria, com um mícron elemento modificado nos mostra mais uma vez que, a diversidade precisa ser preservada. Se no Planeta Terra descobrimos formas diferentes de vida, por que ainda vamos continuar a ignorar e menosprezar seres humanos que achamos “diferentes”. Os parâmetros mudaram já faz tempo, mas foi preciso que uma bactéria viesse e mostrasse isso para o mundo. Espero que o recado tenha chegado com clareza a cada um.
Veja o vídeo publicado pelo Jornal The Guardian

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Inferno

Autor:  Dan Brown Tradutor: Fabiano Morais e Fernanda Abreu Editora:  Arqueiro Número de páginas:  448 Ano de Lançamento:  2013 (EUA) Avaliação do Prosa Mágica:   9                               Gênio ou Louco? Você termina a leitura de Inferno e continua sem uma resposta para esta pergunta. Dan Brown nos engana, muito, de uma maneira descarada, sem dó de seu leitor, sem nenhuma piedade por sua alma. O autor passa praticamente metade do livro te enganando. Você se sente traído quando descobre tudo, se sente usado, irritado, revoltado. Que é esse Dan Brown que escreveu Inferno??? Nas primeiras duzentas páginas não parece ser o mesmo que escreveu brilhantemente Símbolo Perdido e Código D’Vince.  Mapa do Inferno. Botticelli. Então, quando você descobre que está sendo enganado, assim como o brilhante Robert Langdon, a sua opinião vai se transformando lentamente, e passa de pura revolta a admiração. É genial a manipulação que Dan Brown consegue fazer c

Tudo vai passar

Diante desta desgraça geral, com tantas mortes no mundo e no Brasil, pode parecer estranho um blog falar de leitura, de romance, de ficção, de sonhos. Pode ter a certeza que não é. Do que é feita a vida, senão de sonhos tornados realidades? O que seria agora, dos milhões de italianos que estão em isolamento total em suas casas se não fosse o sonho, a esperança? - Tudo vai passar. Uma das maneiras mais ricas de se passar um momento como esse é a leitura.   O livro é a porta aberta para o mundo que não podemos caminhar; são os abraços que não podemos dar; são os familiares que não podemos encontrar; são pessoas diferentes com as quais podemos dialogar, mesmo que em um primeiro momento pareça que estamos exercendo um monologo. Você pode optar por dialogar com escritores mais contemporâneos, que nos apresentam uma linguagem atual. Talvez uma conversa regada a saquê com Murakami com “histórias bizarras que gravitam no limite do realismo fantástico” como explica Felipe Massahiro.

Setembro

Autor:   Rosamund Pilcher Tradução: Angela Nascimento Machado Editora:  Bertrand Brasil Número de páginas: 462 Ano de Lançamento: 1990 Avaliação do Prosa Mágica:   10                         É uma história extremamente envolvente e humana que traça a vida de uma dúzia de personagens. A trama se passa na Escócia, e acontece entre os meses de maio a setembro, tendo como pano de fundo uma festa de aniversário que acontecerá em grande estilo. Violet, que me parece ser a própria Rosamund, costura a relação entre as famílias que fazem parte deste romance. Com destreza e delicadeza, a autora   nos conta o cotidiano destas famílias, coisas comuns como comer, fazer compras, tricô, jardinagem. Problemas pessoais como a necessidade de um trabalho para complementar a   renda e outras preocupações do cotidiano que surpreendem pela beleza que são apresentadas. É um livro em camadas, que pode ser avaliado sobre vários aspectos que se complementam. Pandora, por exemplo, é o