Pular para o conteúdo principal

Dois grandes lançamentos em agosto


Não sei se posso falar exatamente assim, mas agosto promete em termos de lançamentos e também por que a Bienal está próxima, e convenhamos, é um grande prazer participar da maratona de centenas de expositores.
Há duas novidades interessantíssimas. Uma delas é o relançamento do livro Os Pilares da Terra, de Ken Follet, pela editora Rocco. Uma edição especial com os dois volumes em um, capa dura  com um design de tirar o fôlego. O livro é espetacular. Eu li na década de 90, quando foi lançado. Confesso que não vi a série toda feita para TV baseada nele, mas o pouco que vi não gostei. Então, se você pertence ao grupo que viu a série e não gostou, pode ter certeza que o livro é muito melhor. Segue sinopse da editora:
“Neste livro, o autor procura traçar o painel de um tempo varrido por conspirações, jogos intrincados de poder, violência e surgimento de uma nova ordem social e cultural, buscando captar simultaneamente o que acontece nos castelos, feiras, florestas e igrejas. Philip, prior de Kingsbridge, luta contra tudo e todos para construir um templo grandioso a Deus. A galeria de personagens gravitando em torno da catedral inclui Aliena, a bela herdeira banida de suas terras, Jack, seu amante, Tom, o construtor, William o cavaleiro boçal, e Waleran, o bispo capaz de tudo para pavimentar seu caminho até o lugar do Papa, em Roma. Como painel de fundo, uma Inglaterra sacudida por lutas entre os sucessores prováveis ao trono que Henrique I deixou sem descendentes”

Outro lançamento, que eu posso chamar de espetacular, é o promovido pela editora Intrínseca, do livro Cinquenta tons de cinza, da autora E. L. James, um sucesso internacional e lançado aqui no Brasil com a tiragem inicial de 100 mil exemplares.
O livro, considerado literatura erótica, conta a história de Anastasia Steele e o jovem empresário Christian Grey. Ela, uma garota ingênua, ele um homem enigmático. É claro que ambos vão sofrer de uma atração irresistível e a escritora detalha cenas picantes desta relação. (O pouco que li de uma forma aleatória em uma livraria não me pareceu tão picante assim, mas só lendo o livro todo.)
O livro é uma trilogia e será lançado quase ao mesmo tempo aqui no Brasil.

É claro que eu vou reler Pilares da Terra em nova edição e ler Cinquenta Tons de Cinza para comentar aqui no blog. Por enquanto fica como sugestão de leitura para vocês, queridos leitores.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A princesa dos olhos tristes

Se vocês me permitem um pequeno comentário intimo, há uma “mania” na família de minha mãe de colocar nome de princesas nas filhas. Naturalmente começou com a minha, que me batizou de Soraya (em homenagem a princesa da Pérsia, Soraya Esfandiary Bakhtiari), depois minha prima batizou sua filha de Caroline (Homenagem a filha da belíssima Grace Kelly, rainha de Mônaco) e alguns anos depois, meus tios colocaram o nome de Anne (princesa da Grã Bretanha), em minha prima. Então é fácil imaginar que vivemos em clima de “família real” boa parte de nossa infância e adolescência. Mas, de todas as histórias reais, a que mais me intriga e fascina é a da princesa da Pérsia, por ter sido uma história de amor com final infeliz, mas não trágico. Soraya foi a esposa e rainha consorte de Mohammad Reza Pahlavi, Xá da Pérsia. Conheceram-se na França, na época em que Soraya fazia um curso de boas maneiras em uma escola Suíça. Logo ela recebeu um anel de noivado com um diamante de 22,37 quilates. O casamento

Setembro

Autor:   Rosamund Pilcher Tradução: Angela Nascimento Machado Editora:  Bertrand Brasil Número de páginas: 462 Ano de Lançamento: 1990 Avaliação do Prosa Mágica:   10                         É uma história extremamente envolvente e humana que traça a vida de uma dúzia de personagens. A trama se passa na Escócia, e acontece entre os meses de maio a setembro, tendo como pano de fundo uma festa de aniversário que acontecerá em grande estilo. Violet, que me parece ser a própria Rosamund, costura a relação entre as famílias que fazem parte deste romance. Com destreza e delicadeza, a autora   nos conta o cotidiano destas famílias, coisas comuns como comer, fazer compras, tricô, jardinagem. Problemas pessoais como a necessidade de um trabalho para complementar a   renda e outras preocupações do cotidiano que surpreendem pela beleza que são apresentadas. É um livro em camadas, que pode ser avaliado sobre vários aspectos que se complementam. Pandora, por exemplo, é o

Inferno

Autor:  Dan Brown Tradutor: Fabiano Morais e Fernanda Abreu Editora:  Arqueiro Número de páginas:  448 Ano de Lançamento:  2013 (EUA) Avaliação do Prosa Mágica:   9                               Gênio ou Louco? Você termina a leitura de Inferno e continua sem uma resposta para esta pergunta. Dan Brown nos engana, muito, de uma maneira descarada, sem dó de seu leitor, sem nenhuma piedade por sua alma. O autor passa praticamente metade do livro te enganando. Você se sente traído quando descobre tudo, se sente usado, irritado, revoltado. Que é esse Dan Brown que escreveu Inferno??? Nas primeiras duzentas páginas não parece ser o mesmo que escreveu brilhantemente Símbolo Perdido e Código D’Vince.  Mapa do Inferno. Botticelli. Então, quando você descobre que está sendo enganado, assim como o brilhante Robert Langdon, a sua opinião vai se transformando lentamente, e passa de pura revolta a admiração. É genial a manipulação que Dan Brown consegue fazer c

Seguidores