Pular para o conteúdo principal

Deixe a imaginação ir além


Eloisa Machado, 16, estreia hoje a nova coluna chamada Perfil do Leitor. Um espaço para os amantes de livros contarem um pouco sobre sua paixão, suas ideias e quem são. Eloisa vive na paradisíaca Olinda, em meio ao céu azul, o mar, o frevo e a musicalidade do povo pernambucano. Futura médica, com ideias bem claras sobre educação e literatura, Eloisa é mais uma prova que Ler é o melhor e mais saudável hábito que alguém pode ter.

SF. O que representa para você ser leitora?
EM: Ser leitora no meu ponto de vista representa uma nova forma de conhecer o que está oculto. Buscando novas informações, entrando em um mundo onde a imaginação é que toma conta de convencer você a cada vez mais estar “colada” a um livro ou a qualquer outro tipo de texto, como um jornal, por exemplo.

SF. Quando começou a se interessar por livros?
EM: Desde 1º Serie do Ensino Fundamental

SF. Qual foi o primeiro livro que leu?
EM:  A Bíblia, cada dia lia um versículo.

SF. Por que ler é importante para você?
EM:  Porque é através da leitura que conhecemos mais o mundo onde vivemos e o mundo imaginário.

SF. Como você escolhe os títulos?
EM: Na realidade eu nem dou valor muito para o título, escolho mais pela imagem da capa.

SF. Qual é o gênero que você mais gosta? Por quê?
EM: Romance. Por que envolve sempre um mistério, um romance proibido, etc. São elementos fundamentais para que, a cada página, você fique satisfeita, sempre querendo mais.

SF. Quem é o seu escritor (a) predileto? Por quê?
EM: Becca Fitzpatrick . Porque me apaixonei pelo modo como ela escreve, romance misturado com o mistério de um amor proibido.

SF. Quais autores internacionais você leu e gostou? Por quê? O que faz deles diferente dos outros?
EM:  Jane Austin, Rick Riordan, Marian Keyes, Becca Fitzpatrick, etc.  É uma leitura envolvente, onde cada página do livro é uma surpresa. A prática de saber escrever um bom livro, sabendo encaixar o inicio, o meio e o fim de uma maneira que deixa a leitura mais interessante.  

SF. Quais autores brasileiros você leu e gostou? Por quê? O que faz deles diferente dos outros?
EM: Soraya Felix. É uma leitura muito envolvente também, mistério, romance e outros fatores que contribuem para deixar a leitura com um jeito internacional. Muito diferente dos outros, pois fora o livro dela, só li clássicos brasileiros como A Moreninha.
A forma antiga da escrita dos clássicos é inconfundível.

SF. Você faz anotações sobre suas leituras?
EM: Não.

SF. Seus amigos gostam de ler?
EM: A maioria gosta.

SF. Quais são as recomendações que você daria a outro jovem de sua idade para que ele também comece a ler?
EM: Inicie a leitura com textos pequenos como poemas ou até livros que não tenham uma quantidade de página muito grande.

SF. Quais são suas expectativas quanto a seu futuro profissional? Você já tem uma carreira em mente?
EM: Esperançosa. Pretendo cursar Medicina.

SF. Como você vê o panorama brasileiro em relação à literatura? O que você sugeriria para melhorar este panorama?
EM: Muito baixo. Uma boa maneira de fazer esse quadro mudar seria incentivar as famílias a pratica da leitura desde criança. Pois, muitos dos jovens e até mesmo adultos não se interessam pela literatura brasileira, sem saber que é de extrema importância para concursos e vestibulares.

SF. Como você vê a educação no Brasil? Quais são as suas ideias para melhorar a educação no país?
EM:  Péssima, por que muitas das famílias não entendem que a educação não vem só pela escola  e pode ser a que for, publica ou privada. A educação começa dentro de casa. Muitos filhos se espelham na forma de ser dos pais. Se os pais são irresponsáveis então os filhos terão 90% de chance de se tornarem irresponsáveis. Minha ideia é que a educação comece de dentro de casa pra fora, e não, de fora para dentro de casa.

SF. Se você tivesse que escolher outro país para viver/estudar, qual você escolheria e por quê? Qual é o papel da literatura nessa escolha?
EM: Itália. É um país bonito. Incentiva a imaginação a ir mais além.

SF. Deixe uma mensagem para os meus leitores.
EM: Leitores deixem a sua imaginação ir mais além do que você consegue, eu costumo dizer que a leitura é um novo mundo, um mundo de imaginação, onde nós somos os autores e ficamos responsáveis pela criação desse mundo. Leiam e incentivem a leitura, pois é a partir dela que passamos a ter a chance de fazer do mundo em que vivemos um lugar melhor.   

Comentários

Eloisa Machado disse…
Ficou,show! Obrigada por me entrevistar para o seu blog,gostei muito!! Bjs

Postagens mais visitadas deste blog

Inferno

Autor:  Dan Brown Tradutor: Fabiano Morais e Fernanda Abreu Editora:  Arqueiro Número de páginas:  448 Ano de Lançamento:  2013 (EUA) Avaliação do Prosa Mágica:   9                               Gênio ou Louco? Você termina a leitura de Inferno e continua sem uma resposta para esta pergunta. Dan Brown nos engana, muito, de uma maneira descarada, sem dó de seu leitor, sem nenhuma piedade por sua alma. O autor passa praticamente metade do livro te enganando. Você se sente traído quando descobre tudo, se sente usado, irritado, revoltado. Que é esse Dan Brown que escreveu Inferno??? Nas primeiras duzentas páginas não parece ser o mesmo que escreveu brilhantemente Símbolo Perdido e Código D’Vince.  Mapa do Inferno. Botticelli. Então, quando você descobre que está sendo enganado, assim como o brilhante Robert Langdon, a sua opinião vai se transformando lentamente, e passa de pura revolta a admiração. É genial a manipulação que Dan Brown consegue fazer c

Tudo vai passar

Diante desta desgraça geral, com tantas mortes no mundo e no Brasil, pode parecer estranho um blog falar de leitura, de romance, de ficção, de sonhos. Pode ter a certeza que não é. Do que é feita a vida, senão de sonhos tornados realidades? O que seria agora, dos milhões de italianos que estão em isolamento total em suas casas se não fosse o sonho, a esperança? - Tudo vai passar. Uma das maneiras mais ricas de se passar um momento como esse é a leitura.   O livro é a porta aberta para o mundo que não podemos caminhar; são os abraços que não podemos dar; são os familiares que não podemos encontrar; são pessoas diferentes com as quais podemos dialogar, mesmo que em um primeiro momento pareça que estamos exercendo um monologo. Você pode optar por dialogar com escritores mais contemporâneos, que nos apresentam uma linguagem atual. Talvez uma conversa regada a saquê com Murakami com “histórias bizarras que gravitam no limite do realismo fantástico” como explica Felipe Massahiro.

Setembro

Autor:   Rosamund Pilcher Tradução: Angela Nascimento Machado Editora:  Bertrand Brasil Número de páginas: 462 Ano de Lançamento: 1990 Avaliação do Prosa Mágica:   10                         É uma história extremamente envolvente e humana que traça a vida de uma dúzia de personagens. A trama se passa na Escócia, e acontece entre os meses de maio a setembro, tendo como pano de fundo uma festa de aniversário que acontecerá em grande estilo. Violet, que me parece ser a própria Rosamund, costura a relação entre as famílias que fazem parte deste romance. Com destreza e delicadeza, a autora   nos conta o cotidiano destas famílias, coisas comuns como comer, fazer compras, tricô, jardinagem. Problemas pessoais como a necessidade de um trabalho para complementar a   renda e outras preocupações do cotidiano que surpreendem pela beleza que são apresentadas. É um livro em camadas, que pode ser avaliado sobre vários aspectos que se complementam. Pandora, por exemplo, é o