Pular para o conteúdo principal

Deixe a imaginação ir além


Eloisa Machado, 16, estreia hoje a nova coluna chamada Perfil do Leitor. Um espaço para os amantes de livros contarem um pouco sobre sua paixão, suas ideias e quem são. Eloisa vive na paradisíaca Olinda, em meio ao céu azul, o mar, o frevo e a musicalidade do povo pernambucano. Futura médica, com ideias bem claras sobre educação e literatura, Eloisa é mais uma prova que Ler é o melhor e mais saudável hábito que alguém pode ter.

SF. O que representa para você ser leitora?
EM: Ser leitora no meu ponto de vista representa uma nova forma de conhecer o que está oculto. Buscando novas informações, entrando em um mundo onde a imaginação é que toma conta de convencer você a cada vez mais estar “colada” a um livro ou a qualquer outro tipo de texto, como um jornal, por exemplo.

SF. Quando começou a se interessar por livros?
EM: Desde 1º Serie do Ensino Fundamental

SF. Qual foi o primeiro livro que leu?
EM:  A Bíblia, cada dia lia um versículo.

SF. Por que ler é importante para você?
EM:  Porque é através da leitura que conhecemos mais o mundo onde vivemos e o mundo imaginário.

SF. Como você escolhe os títulos?
EM: Na realidade eu nem dou valor muito para o título, escolho mais pela imagem da capa.

SF. Qual é o gênero que você mais gosta? Por quê?
EM: Romance. Por que envolve sempre um mistério, um romance proibido, etc. São elementos fundamentais para que, a cada página, você fique satisfeita, sempre querendo mais.

SF. Quem é o seu escritor (a) predileto? Por quê?
EM: Becca Fitzpatrick . Porque me apaixonei pelo modo como ela escreve, romance misturado com o mistério de um amor proibido.

SF. Quais autores internacionais você leu e gostou? Por quê? O que faz deles diferente dos outros?
EM:  Jane Austin, Rick Riordan, Marian Keyes, Becca Fitzpatrick, etc.  É uma leitura envolvente, onde cada página do livro é uma surpresa. A prática de saber escrever um bom livro, sabendo encaixar o inicio, o meio e o fim de uma maneira que deixa a leitura mais interessante.  

SF. Quais autores brasileiros você leu e gostou? Por quê? O que faz deles diferente dos outros?
EM: Soraya Felix. É uma leitura muito envolvente também, mistério, romance e outros fatores que contribuem para deixar a leitura com um jeito internacional. Muito diferente dos outros, pois fora o livro dela, só li clássicos brasileiros como A Moreninha.
A forma antiga da escrita dos clássicos é inconfundível.

SF. Você faz anotações sobre suas leituras?
EM: Não.

SF. Seus amigos gostam de ler?
EM: A maioria gosta.

SF. Quais são as recomendações que você daria a outro jovem de sua idade para que ele também comece a ler?
EM: Inicie a leitura com textos pequenos como poemas ou até livros que não tenham uma quantidade de página muito grande.

SF. Quais são suas expectativas quanto a seu futuro profissional? Você já tem uma carreira em mente?
EM: Esperançosa. Pretendo cursar Medicina.

SF. Como você vê o panorama brasileiro em relação à literatura? O que você sugeriria para melhorar este panorama?
EM: Muito baixo. Uma boa maneira de fazer esse quadro mudar seria incentivar as famílias a pratica da leitura desde criança. Pois, muitos dos jovens e até mesmo adultos não se interessam pela literatura brasileira, sem saber que é de extrema importância para concursos e vestibulares.

SF. Como você vê a educação no Brasil? Quais são as suas ideias para melhorar a educação no país?
EM:  Péssima, por que muitas das famílias não entendem que a educação não vem só pela escola  e pode ser a que for, publica ou privada. A educação começa dentro de casa. Muitos filhos se espelham na forma de ser dos pais. Se os pais são irresponsáveis então os filhos terão 90% de chance de se tornarem irresponsáveis. Minha ideia é que a educação comece de dentro de casa pra fora, e não, de fora para dentro de casa.

SF. Se você tivesse que escolher outro país para viver/estudar, qual você escolheria e por quê? Qual é o papel da literatura nessa escolha?
EM: Itália. É um país bonito. Incentiva a imaginação a ir mais além.

SF. Deixe uma mensagem para os meus leitores.
EM: Leitores deixem a sua imaginação ir mais além do que você consegue, eu costumo dizer que a leitura é um novo mundo, um mundo de imaginação, onde nós somos os autores e ficamos responsáveis pela criação desse mundo. Leiam e incentivem a leitura, pois é a partir dela que passamos a ter a chance de fazer do mundo em que vivemos um lugar melhor.   

Comentários

  1. Eloisa Machado31/1/13 3:38 PM

    Ficou,show! Obrigada por me entrevistar para o seu blog,gostei muito!! Bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada, seu comentário é muito importante.
- Se quiser que eu faça contato mande um e-mail para prosa.magica@gmail.com
- Eu gosto de responder a todos os comentários. Assine os comentários do blog para ver o seu.

ATENÇÃO: Não publicarei links ou publicidade na área de comentários.
Obrigada pela participação.

Postagens mais visitadas deste blog

A princesa dos olhos tristes

Se vocês me permitem um pequeno comentário intimo, há uma “mania” na família de minha mãe de colocar nome de princesas nas filhas. Naturalmente começou com a minha, que me batizou de Soraya (em homenagem a princesa da Pérsia, Soraya Esfandiary Bakhtiari), depois minha prima batizou sua filha de Caroline (Homenagem a filha da belíssima Grace Kelly, rainha de Mônaco) e alguns anos depois, meus tios colocaram o nome de Anne (princesa da Grã Bretanha), em minha prima. Então é fácil imaginar que vivemos em clima de “família real” boa parte de nossa infância e adolescência. Mas, de todas as histórias reais, a que mais me intriga e fascina é a da princesa da Pérsia, por ter sido uma história de amor com final infeliz, mas não trágico. Soraya foi a esposa e rainha consorte de Mohammad Reza Pahlavi, Xá da Pérsia. Conheceram-se na França, na época em que Soraya fazia um curso de boas maneiras em uma escola Suíça. Logo ela recebeu um anel de noivado com um diamante de 22,37 quilates. O casamento

Setembro

Autor:   Rosamund Pilcher Tradução: Angela Nascimento Machado Editora:  Bertrand Brasil Número de páginas: 462 Ano de Lançamento: 1990 Avaliação do Prosa Mágica:   10                         É uma história extremamente envolvente e humana que traça a vida de uma dúzia de personagens. A trama se passa na Escócia, e acontece entre os meses de maio a setembro, tendo como pano de fundo uma festa de aniversário que acontecerá em grande estilo. Violet, que me parece ser a própria Rosamund, costura a relação entre as famílias que fazem parte deste romance. Com destreza e delicadeza, a autora   nos conta o cotidiano destas famílias, coisas comuns como comer, fazer compras, tricô, jardinagem. Problemas pessoais como a necessidade de um trabalho para complementar a   renda e outras preocupações do cotidiano que surpreendem pela beleza que são apresentadas. É um livro em camadas, que pode ser avaliado sobre vários aspectos que se complementam. Pandora, por exemplo, é o

Inferno

Autor:  Dan Brown Tradutor: Fabiano Morais e Fernanda Abreu Editora:  Arqueiro Número de páginas:  448 Ano de Lançamento:  2013 (EUA) Avaliação do Prosa Mágica:   9                               Gênio ou Louco? Você termina a leitura de Inferno e continua sem uma resposta para esta pergunta. Dan Brown nos engana, muito, de uma maneira descarada, sem dó de seu leitor, sem nenhuma piedade por sua alma. O autor passa praticamente metade do livro te enganando. Você se sente traído quando descobre tudo, se sente usado, irritado, revoltado. Que é esse Dan Brown que escreveu Inferno??? Nas primeiras duzentas páginas não parece ser o mesmo que escreveu brilhantemente Símbolo Perdido e Código D’Vince.  Mapa do Inferno. Botticelli. Então, quando você descobre que está sendo enganado, assim como o brilhante Robert Langdon, a sua opinião vai se transformando lentamente, e passa de pura revolta a admiração. É genial a manipulação que Dan Brown consegue fazer c

Seguidores