Pular para o conteúdo principal

Drácula Apaixonado

Autor: Karen Essex
Tradutor:  Márcia Alves
Editora: Record
Ano de Lançamento: 2010
Número de páginas: 390
Avaliação do Prosa Mágica: 8


- Quantos livros sobre vampiro você já leu desde que Stephanie Meyer lançou a saga Crepúsculo? De todos os livros que sucederam esta saga quais deles conseguiram ser realmente diferentes? – Eu só li dois, e um deles é Drácula Apaixonado da autora norte americana Karen Essex.
Talvez dizer que este livro é sobre um vampiro seja absoluto exagero, assim como esperar muito romance. É por isso que Karen surpreende. Drácula Apaixonado é antes de tudo, uma sutil discussão sobre o papel da mulher na sociedade inglesa nos anos de 1890. É isso que ela nos traz de interessante, nos inserindo em um contexto em que as mulheres eram quase mercadorias e sofriam duras penas quando se rebelavam.
Então, dentro deste contexto, Karen nos traz Mina Murray, uma bela jovem que contem em sua essência todos os atributos desejáveis a uma mulher submissa daquela época, e por isso talvez ela nos pareça excessivamente fraca, frágil e irritante. Uma perfeita antítese do que nos mulheres queremos ver retratado em um livro. No entanto, ela encanta por isso, por que é verdadeira, real, uma heroína que pode ser encontrada nos dias de hoje.
Outro fator inusitado é que o livro demora para acontecer, mas isso não é um ponto negativo. Se Karen nos apresentasse o misterioso Conde de corpo e alma logo no inicio, o livro perderia a graça. Ela vai nos dando doses homeopáticas dele, em cenas realmente marcantes até que Mina e o Conde dominam uma parte emocionante do livro.
Então, Karen nos surpreende mais uma vez. Você não espera o final que ela apresenta, por que ele não é comum, por que ele incomoda; e incomoda por que talvez nenhuma de nós mulheres tivéssemos a capacidade de perdoar alguém que nos permitiu uma agressão sem tamanho. Mas, outra vez chamo atenção para a história. Ela se passa em 1890 e não em 2014.
Há erotismo no livro, mas não o erótico barato de Cinquenta Tons. Em Drácula Apaixonado o erótico é visto como libertador, como uma alavanca de mudança da mulher na sociedade. Não há sexo por sexo e sim relações íntimas que completam o amor.
Também há muita mitologia, muitas referências culturais a lendas antigas que povoam o imaginário europeu, e isso dá um toque todo especial a trama.
Então você acaba o livro se perguntado:
- O Conde é realmente o Drácula?
- Será esta a real história dos vampiros?

Não tenho a resposta, apenas a recomendação: - Leia, se delicie e depois volte aqui e me conte o que sentiu.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A princesa dos olhos tristes

Se vocês me permitem um pequeno comentário intimo, há uma “mania” na família de minha mãe de colocar nome de princesas nas filhas. Naturalmente começou com a minha, que me batizou de Soraya (em homenagem a princesa da Pérsia, Soraya Esfandiary Bakhtiari), depois minha prima batizou sua filha de Caroline (Homenagem a filha da belíssima Grace Kelly, rainha de Mônaco) e alguns anos depois, meus tios colocaram o nome de Anne (princesa da Grã Bretanha), em minha prima. Então é fácil imaginar que vivemos em clima de “família real” boa parte de nossa infância e adolescência. Mas, de todas as histórias reais, a que mais me intriga e fascina é a da princesa da Pérsia, por ter sido uma história de amor com final infeliz, mas não trágico. Soraya foi a esposa e rainha consorte de Mohammad Reza Pahlavi, Xá da Pérsia. Conheceram-se na França, na época em que Soraya fazia um curso de boas maneiras em uma escola Suíça. Logo ela recebeu um anel de noivado com um diamante de 22,37 quilates. O casamento

Setembro

Autor:   Rosamund Pilcher Tradução: Angela Nascimento Machado Editora:  Bertrand Brasil Número de páginas: 462 Ano de Lançamento: 1990 Avaliação do Prosa Mágica:   10                         É uma história extremamente envolvente e humana que traça a vida de uma dúzia de personagens. A trama se passa na Escócia, e acontece entre os meses de maio a setembro, tendo como pano de fundo uma festa de aniversário que acontecerá em grande estilo. Violet, que me parece ser a própria Rosamund, costura a relação entre as famílias que fazem parte deste romance. Com destreza e delicadeza, a autora   nos conta o cotidiano destas famílias, coisas comuns como comer, fazer compras, tricô, jardinagem. Problemas pessoais como a necessidade de um trabalho para complementar a   renda e outras preocupações do cotidiano que surpreendem pela beleza que são apresentadas. É um livro em camadas, que pode ser avaliado sobre vários aspectos que se complementam. Pandora, por exemplo, é o

Inferno

Autor:  Dan Brown Tradutor: Fabiano Morais e Fernanda Abreu Editora:  Arqueiro Número de páginas:  448 Ano de Lançamento:  2013 (EUA) Avaliação do Prosa Mágica:   9                               Gênio ou Louco? Você termina a leitura de Inferno e continua sem uma resposta para esta pergunta. Dan Brown nos engana, muito, de uma maneira descarada, sem dó de seu leitor, sem nenhuma piedade por sua alma. O autor passa praticamente metade do livro te enganando. Você se sente traído quando descobre tudo, se sente usado, irritado, revoltado. Que é esse Dan Brown que escreveu Inferno??? Nas primeiras duzentas páginas não parece ser o mesmo que escreveu brilhantemente Símbolo Perdido e Código D’Vince.  Mapa do Inferno. Botticelli. Então, quando você descobre que está sendo enganado, assim como o brilhante Robert Langdon, a sua opinião vai se transformando lentamente, e passa de pura revolta a admiração. É genial a manipulação que Dan Brown consegue fazer c

Seguidores