Pular para o conteúdo principal

Encontro com Zafón

Roberta, Carla, Josi, Yvone, Dora e Soraya
Nada mais prazeroso que reunir um grupo para falar sobre o que mais amamos: - livros.
Ano passado reunimos um grupo de amigas e amigos, no mais puro estilo “O Clube de Leitura da Jane Austen” para conversarmos sobre livros, seus personagens e acabamos descobrindo que também iríamos falar de viagens, comida, vinhos e outras “coisinhas” deliciosas que fazem parte de nossas vidas.
O Clube foi um sucesso desde o primeiro encontro, que discutiu nada mais que Orgulho e Preconceito de nossa inspiradora Jane Austen. A empatia foi tão grande que estamos juntas até hoje, e o grupo ganhou um nome: - Magia Literária.
Ontem, em pleno feriado de quinta-feira nos reunimos para falar sobre a Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón, um livro fantástico fruto da imaginação deste escritor brilhante.
Zafon nos proporcionou um de nossos melhores encontros, uma bate papo que oscilou entre lugares turísticos em Barcelona e teorias psicológicas sobre o comportamento dos personagens que amamos e odiamos na trama.
Como vocês podem ver pela foto, a anfitriã da vez é fanática pelo autor e tem todos os livros dele – em português e espanhol. – e confesso que estou tentada a fazer o mesmo.
Quantos livros mesmo????
Estou fazendo este post não apenas para elogiar o autor (Publicarei uma resenha sobre o livro na próxima terça-feira), mas para incentivar o leitor a criar grupos de leitura.
Aqui no Brasil, os grupos de leitura possuem um rótulo de “coisa de mulherzinha”, como se ler e gostar de literatura fosse um ato que envolvesse gênero. Falar sobre livros envolve espécie; a espécie humana pensante.
Fora do Brasil e especificamente na Inglaterra, país que visitei este ano, os grupos de leitura são encontros sociais comuns, que são oferecidos por livrarias, bibliotecas, escolas, e também no âmbito particular.  Lá, as editoras publicam em seus sites roteiros de leitura para os livros mais escolhido pelo leitor. A Bloomsburry é uma delas.
Paulo e Rinaldo.
Assim, gostaria de saber o porquê desta tarja nos grupos brasileiros?
Então, minha sugestão é que reúna os amigos, escolha um livro e marque um encontro. É fácil, não requer nenhum aparato especial, e acaba lhe proporcionando o prazer de sair de uma reunião dessas, mais rico em conhecimento e feliz.
Aos poucos, começarei a publicar junto com as resenhas, guias para Clube de Leitura. O primeiro será A Sombra do Vento. A intenção não será fechar questão sobre o que é mais ou menos importante nos livros e sim dar subsídios para quem está iniciando um Clube de Leitura e não tem a mínima ideia de como iniciar a reunião.
Por hora eu posso dizer que participar de um grupo assim é uma experiência sem igual. Experimente e me conte por que eu estou feliz demais com o meu grupo.
Guloseimas: Sem gluten e sem lactose do Cozinha de Perséfone.
Além das deliciosas sodas italianas e outras guloseimas.
Crédito de fotos:
1 e 4.  Dora Carvalho
2.3. Prosa Màgica

Comentários

  1. Oi, Soraya.
    Adorei o seu post e principalmente saber que o seu clube de leitura está indo tão bem...
    Infelizmente essa não é uma cultura do povo brasileiro. Clube do Livro por aqui só faz sucesso se tem brindes e brincadeiras! Ninguém merece!!
    Beijos
    Camis - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  2. Oi Camila,
    Você tem razão, alguns Clubes de Leitura acabam fazendo o comércio de brindes, e não sei o que é pior, ir a reunião só para ganhar presentinho ou um tipo de Clube que não tem livro definido e a cada reunião aparece um grupo diferente. Já vi esta proposta em uma livraria e não gostei.
    BJs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada, seu comentário é muito importante.
- Se quiser que eu faça contato mande um e-mail para prosa.magica@gmail.com
- Eu gosto de responder a todos os comentários. Assine os comentários do blog para ver o seu.

ATENÇÃO: Não publicarei links ou publicidade na área de comentários.
Obrigada pela participação.

Postagens mais visitadas deste blog

A princesa dos olhos tristes

Se vocês me permitem um pequeno comentário intimo, há uma “mania” na família de minha mãe de colocar nome de princesas nas filhas. Naturalmente começou com a minha, que me batizou de Soraya (em homenagem a princesa da Pérsia, Soraya Esfandiary Bakhtiari), depois minha prima batizou sua filha de Caroline (Homenagem a filha da belíssima Grace Kelly, rainha de Mônaco) e alguns anos depois, meus tios colocaram o nome de Anne (princesa da Grã Bretanha), em minha prima. Então é fácil imaginar que vivemos em clima de “família real” boa parte de nossa infância e adolescência. Mas, de todas as histórias reais, a que mais me intriga e fascina é a da princesa da Pérsia, por ter sido uma história de amor com final infeliz, mas não trágico. Soraya foi a esposa e rainha consorte de Mohammad Reza Pahlavi, Xá da Pérsia. Conheceram-se na França, na época em que Soraya fazia um curso de boas maneiras em uma escola Suíça. Logo ela recebeu um anel de noivado com um diamante de 22,37 quilates. O casamento

Setembro

Autor:   Rosamund Pilcher Tradução: Angela Nascimento Machado Editora:  Bertrand Brasil Número de páginas: 462 Ano de Lançamento: 1990 Avaliação do Prosa Mágica:   10                         É uma história extremamente envolvente e humana que traça a vida de uma dúzia de personagens. A trama se passa na Escócia, e acontece entre os meses de maio a setembro, tendo como pano de fundo uma festa de aniversário que acontecerá em grande estilo. Violet, que me parece ser a própria Rosamund, costura a relação entre as famílias que fazem parte deste romance. Com destreza e delicadeza, a autora   nos conta o cotidiano destas famílias, coisas comuns como comer, fazer compras, tricô, jardinagem. Problemas pessoais como a necessidade de um trabalho para complementar a   renda e outras preocupações do cotidiano que surpreendem pela beleza que são apresentadas. É um livro em camadas, que pode ser avaliado sobre vários aspectos que se complementam. Pandora, por exemplo, é o

Inferno

Autor:  Dan Brown Tradutor: Fabiano Morais e Fernanda Abreu Editora:  Arqueiro Número de páginas:  448 Ano de Lançamento:  2013 (EUA) Avaliação do Prosa Mágica:   9                               Gênio ou Louco? Você termina a leitura de Inferno e continua sem uma resposta para esta pergunta. Dan Brown nos engana, muito, de uma maneira descarada, sem dó de seu leitor, sem nenhuma piedade por sua alma. O autor passa praticamente metade do livro te enganando. Você se sente traído quando descobre tudo, se sente usado, irritado, revoltado. Que é esse Dan Brown que escreveu Inferno??? Nas primeiras duzentas páginas não parece ser o mesmo que escreveu brilhantemente Símbolo Perdido e Código D’Vince.  Mapa do Inferno. Botticelli. Então, quando você descobre que está sendo enganado, assim como o brilhante Robert Langdon, a sua opinião vai se transformando lentamente, e passa de pura revolta a admiração. É genial a manipulação que Dan Brown consegue fazer c

Seguidores