Pular para o conteúdo principal

1ª Feira do Livro da Casa da Fraternidade

Foto: Rinaldo Kassuga
Com o intuito não só de arrecadar fundos para as obras assistenciais da instituição, mas principalmente estimular a leitura entre os moradores da região de Pirituba, a Feira do Livro que aconteceu no dia 20 último foi um sucesso.
Foram centenas de livros disponíveis entre valores que variavam de 50 centavos a 15 reais, sendo que a média não chegava a 10. Lá você podia garimpar entre os livros de segunda mão desde Marcel Proust, Machado de Assis, até Stephanie Meyer, Rick Riordan dentre outros.
Beatriz e Rosa M. Vargas
A procura maior foi por romances e livros de história. Houve até uma leitora que foi procurar especificamente por um livro que contasse a história da África. Quem tiver um título deste tema para indicar ou doar entre em contato comigo.
Idealizado por Rosângela e organizado por Rosa Moreno Vargas, com o auxilio dos participantes da Casa da Fraternidade, a feira foi montada em um formato simples e prático: - bancadas com livros espalhados para que o leitor pudesse manusear, ler e decidir o que levar.
A grande alegria para nós, que somos leitores vorazes, foi ver pessoas saindo com pilhas de livros. Todas ostentando um sorriso de satisfação.
A leitura abre as portas para outros mundos, para uma nova forma de pensar e ver a vida. Tanto é que os livros já foram proibidos, queimados e escritores e leitores foram presos e torturados, sempre acusados de “perverter” mentes.
Leitura não tem idade
Se a leitura muda à mentalidade, ela pode mudar o mundo, pode transformar a sociedade em algo melhor para se viver. Ler ensina o ser a pensar, a ser livre, a exercer com fervor seu papel de agente social  transformador.
Está previsto uma nova feira para este ano que será avisada com mais antecedência para você, leitor. Se você tiver livros em bom estado e quiser doar, entre em contato aqui pelo blog. Isso vale para o público e para as editoras.

A Feira do Livro da Casa da Fraternidade ficará por mais duas semanas funcionando, todas as segundas e quartas das 20 às 22 horas. O endereço é Rua Benedito da Fonseca Rondon, 298, Jd. Santo Elias, Pirituba. O telefone é (11) 3834-1511.



Comentários

  1. Olá! Gostei muito do post e o que mais me encantou foi a foto "leitura não tem idade". Quem sabe um dia desses eu tenha o prazer e o privilégio de divulgar as tuas obras.
    Tenhas uma semana invejável.

    ResponderExcluir
  2. Adorei a iniciativa e espero que o projeto ganhei uma segunda edição!
    beijos
    Camis - Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada, seu comentário é muito importante.
- Se quiser que eu faça contato mande um e-mail para prosa.magica@gmail.com
- Eu gosto de responder a todos os comentários. Assine os comentários do blog para ver o seu.

ATENÇÃO: Não publicarei links ou publicidade na área de comentários.
Obrigada pela participação.

Postagens mais visitadas deste blog

A princesa dos olhos tristes

Se vocês me permitem um pequeno comentário intimo, há uma “mania” na família de minha mãe de colocar nome de princesas nas filhas. Naturalmente começou com a minha, que me batizou de Soraya (em homenagem a princesa da Pérsia, Soraya Esfandiary Bakhtiari), depois minha prima batizou sua filha de Caroline (Homenagem a filha da belíssima Grace Kelly, rainha de Mônaco) e alguns anos depois, meus tios colocaram o nome de Anne (princesa da Grã Bretanha), em minha prima. Então é fácil imaginar que vivemos em clima de “família real” boa parte de nossa infância e adolescência. Mas, de todas as histórias reais, a que mais me intriga e fascina é a da princesa da Pérsia, por ter sido uma história de amor com final infeliz, mas não trágico. Soraya foi a esposa e rainha consorte de Mohammad Reza Pahlavi, Xá da Pérsia. Conheceram-se na França, na época em que Soraya fazia um curso de boas maneiras em uma escola Suíça. Logo ela recebeu um anel de noivado com um diamante de 22,37 quilates. O casamento

Setembro

Autor:   Rosamund Pilcher Tradução: Angela Nascimento Machado Editora:  Bertrand Brasil Número de páginas: 462 Ano de Lançamento: 1990 Avaliação do Prosa Mágica:   10                         É uma história extremamente envolvente e humana que traça a vida de uma dúzia de personagens. A trama se passa na Escócia, e acontece entre os meses de maio a setembro, tendo como pano de fundo uma festa de aniversário que acontecerá em grande estilo. Violet, que me parece ser a própria Rosamund, costura a relação entre as famílias que fazem parte deste romance. Com destreza e delicadeza, a autora   nos conta o cotidiano destas famílias, coisas comuns como comer, fazer compras, tricô, jardinagem. Problemas pessoais como a necessidade de um trabalho para complementar a   renda e outras preocupações do cotidiano que surpreendem pela beleza que são apresentadas. É um livro em camadas, que pode ser avaliado sobre vários aspectos que se complementam. Pandora, por exemplo, é o

Inferno

Autor:  Dan Brown Tradutor: Fabiano Morais e Fernanda Abreu Editora:  Arqueiro Número de páginas:  448 Ano de Lançamento:  2013 (EUA) Avaliação do Prosa Mágica:   9                               Gênio ou Louco? Você termina a leitura de Inferno e continua sem uma resposta para esta pergunta. Dan Brown nos engana, muito, de uma maneira descarada, sem dó de seu leitor, sem nenhuma piedade por sua alma. O autor passa praticamente metade do livro te enganando. Você se sente traído quando descobre tudo, se sente usado, irritado, revoltado. Que é esse Dan Brown que escreveu Inferno??? Nas primeiras duzentas páginas não parece ser o mesmo que escreveu brilhantemente Símbolo Perdido e Código D’Vince.  Mapa do Inferno. Botticelli. Então, quando você descobre que está sendo enganado, assim como o brilhante Robert Langdon, a sua opinião vai se transformando lentamente, e passa de pura revolta a admiração. É genial a manipulação que Dan Brown consegue fazer c

Seguidores