Pular para o conteúdo principal

Querida Sue

Autor:  Jessica Brockmole
Tradutor: Vera Ribeiro
Editora:  Arqueiro
Número de páginas: 256
Ano de Lançamento: 2013
Avaliação do Prosa Mágica:  9
                             

Querido leitor,
Hoje em dia já não se fala mais em troca de correspondência, não da forma habitual que fazíamos antes do e-mail, do WhatsApp e do Skype. As pessoas parecem não ter mais paciência para escrever no papel uma cartinha, envelopá-la e postá-la. Estamos na era da rapidez, o que é bom por um lado, mas por outro suprimiu a poesia de nossas vidas. Pois é, Querida Sue de Jessica Brockmole trata exatamente desta poesia perdida.
Quem tem mais de 35 anos sabe o prazer de se corresponder, de escrever cada linha de uma carta com detalhes e depois, esperar por uma resposta que pode ou não demorar. E, é sobre esta experiência de troca de cartas que a história trata.
Em Querida Sue, a carta de um fã, em 1912, direcionada a sua poetisa na ilha de Skye, no Reino Unido, nos leva a uma viagem pelos desejos, pelos sonhos, pelos segredos mais íntimos que podem habitar a alma de uma escritora do campo e um jovem estudante americano.
As cartas nos falam de sentimentos, de livros, mas também, nos revelam as dores e as angustias causada pelas guerras. A intensa correspondência trocada por Elspeth e Davey é o fio condutor, mas a autora nos presenteou com mais, nos revelou Margareth, filha de Elspeth, que através de correspondências nos conta a sua trajetória em busca de sua origem e da verdadeira vida de sua mãe.
O pano de fundo de Margareth é a II Guerra Mundial.
Ilha de Sky - Cenário do livro. Este lugar foi cenário do filme O Amigo da Noiva.
Querida Sue é comovente, é engraçado e, por horas, reflexivo. Ele nos mostra que a esperança pode sobreviver a tudo, e que o amor é capaz de qualquer coisa, até de nos forçar a vencer nossos piores medos.
Brockmole é quase perfeita. Há um momento na trama em que ela tira da manga uma virada desnecessária na trama. Demasiadamente forçado o motivo da separação que acontece entre os personagens. Fora isso, ela amarrou cada carta “com fios de uma poetiza”.
Querida Sue me empolgou, me encantou e emocionou muito.
O ritmo da trama segue a seqüência de uma troca de cartas. No inicio certa formalidade, depois um aprofundamento e quase sem perceber você está completamente envolvida pela história.
É um bom livro para quem acredita ainda na força do humano, na delicadeza do ser.
Querida Sue me empolgou, me encantou e emocionou muito. É lindo!!!

Ilha de Sky

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Inferno

Autor:  Dan Brown Tradutor: Fabiano Morais e Fernanda Abreu Editora:  Arqueiro Número de páginas:  448 Ano de Lançamento:  2013 (EUA) Avaliação do Prosa Mágica:   9                               Gênio ou Louco? Você termina a leitura de Inferno e continua sem uma resposta para esta pergunta. Dan Brown nos engana, muito, de uma maneira descarada, sem dó de seu leitor, sem nenhuma piedade por sua alma. O autor passa praticamente metade do livro te enganando. Você se sente traído quando descobre tudo, se sente usado, irritado, revoltado. Que é esse Dan Brown que escreveu Inferno??? Nas primeiras duzentas páginas não parece ser o mesmo que escreveu brilhantemente Símbolo Perdido e Código D’Vince.  Mapa do Inferno. Botticelli. Então, quando você descobre que está sendo enganado, assim como o brilhante Robert Langdon, a sua opinião vai se transformando lentamente, e passa de pura revolta a admiração. É genial a manipulação que Dan Brown consegue fazer c

Tudo vai passar

Diante desta desgraça geral, com tantas mortes no mundo e no Brasil, pode parecer estranho um blog falar de leitura, de romance, de ficção, de sonhos. Pode ter a certeza que não é. Do que é feita a vida, senão de sonhos tornados realidades? O que seria agora, dos milhões de italianos que estão em isolamento total em suas casas se não fosse o sonho, a esperança? - Tudo vai passar. Uma das maneiras mais ricas de se passar um momento como esse é a leitura.   O livro é a porta aberta para o mundo que não podemos caminhar; são os abraços que não podemos dar; são os familiares que não podemos encontrar; são pessoas diferentes com as quais podemos dialogar, mesmo que em um primeiro momento pareça que estamos exercendo um monologo. Você pode optar por dialogar com escritores mais contemporâneos, que nos apresentam uma linguagem atual. Talvez uma conversa regada a saquê com Murakami com “histórias bizarras que gravitam no limite do realismo fantástico” como explica Felipe Massahiro.

Setembro

Autor:   Rosamund Pilcher Tradução: Angela Nascimento Machado Editora:  Bertrand Brasil Número de páginas: 462 Ano de Lançamento: 1990 Avaliação do Prosa Mágica:   10                         É uma história extremamente envolvente e humana que traça a vida de uma dúzia de personagens. A trama se passa na Escócia, e acontece entre os meses de maio a setembro, tendo como pano de fundo uma festa de aniversário que acontecerá em grande estilo. Violet, que me parece ser a própria Rosamund, costura a relação entre as famílias que fazem parte deste romance. Com destreza e delicadeza, a autora   nos conta o cotidiano destas famílias, coisas comuns como comer, fazer compras, tricô, jardinagem. Problemas pessoais como a necessidade de um trabalho para complementar a   renda e outras preocupações do cotidiano que surpreendem pela beleza que são apresentadas. É um livro em camadas, que pode ser avaliado sobre vários aspectos que se complementam. Pandora, por exemplo, é o