Pular para o conteúdo principal

Reflexão de Natal


Existe uma musica muito bonita de Natal que diz:


“Jesus nasceu em Belém

E com ele nasceu também

A certeza do império do bem

Amem, amem.”
Na época em que foi escrita coisas como império faziam parte do vocabulário, e é claro Jesus tinha que construir um Império e não uma democracia. Hoje nós percebemos que a mensagem de Jesus não tinha a intenção de construir impérios, muito pelo contrário.
Jesus nos trouxe a mensagem de construção do amor, da tolerância, da caridade, do perdão e da simplicidade. Isso nos leva a um Natal de reflexão, de busca interior, de reconhecimento de nosso próprio eu, de perdão pelos nossos erros e falhas.
Então, o Natal é qualquer coisa diferente de tudo o que estamos vendo hoje em dia. Corrida aos supermercados, mesas exageradas, presentes cada vez mais caros, cansaço, intolerância no trânsito cada vez mais intransitável, insegurança, solidão...
Todas as vezes que saio de casa e vejo a loucura que se transformou São Paulo nos últimos vinte dias eu me pergunto para onde foi o espírito de Natal. Não achei a resposta.
Muitas vezes eu creio que se Jesus se materializasse aqui, agora, ninguém o veria ou daria a mínima, pois todos estão muito preocupados com o consumismo exagerado e deixaram de lado a espiritualidade, a amizade e o amor.
Por favor, não fiquem imaginando que abomino todas as festas, não em hipótese nenhuma. Minha árvore de Natal já está montada desde primeiro de dezembro. A casa foi enfeitada e já comprei os presentes, simples, mas cada um tem a expressão da pessoa que receberá.
Mas a minha casa interior já está enfeitada também, pois no dia de Natal se abrirá um grande portal de energias positivas, e devemos aproveitar e alimentar, para que o próximo ano seja de paz e de amor.
Amigo leitore, na hora da ceia de Natal, em meio ao tumulto e alegria das festas, pare um minuto em silêncio e faça uma prece, um agradecimento a tudo de bom que sua vida recebeu durante o ano. Eu farei isso e pensarei em cada um de vocês.

Um Feliz Natal a todos.

Comentários

Rinaldo Kassuga disse…
É muito pertinente o que voce disse sobre o consumismo que virou o Natal e outra datas comemorativas.
As pessoas esqueceram qual é o verdadeiro sentido dessas datas e estão só preocupadas em consumir pensando que é isso que agrada ao próximo.
A confraternização fica em segundo plano. A fraternidade fica esquecida e só é lembrada diante de uma tragédia. A solidariedade então é apenas uma palavra sem sentido na boca do povo.
Vamos pensar mais positivamente para mudar essa energia negativa que paira no ar e atinge a todos nós. assim faremos um mundo melhor para se viver.

Postagens mais visitadas deste blog

Inferno

Autor:  Dan Brown Tradutor: Fabiano Morais e Fernanda Abreu Editora:  Arqueiro Número de páginas:  448 Ano de Lançamento:  2013 (EUA) Avaliação do Prosa Mágica:   9                               Gênio ou Louco? Você termina a leitura de Inferno e continua sem uma resposta para esta pergunta. Dan Brown nos engana, muito, de uma maneira descarada, sem dó de seu leitor, sem nenhuma piedade por sua alma. O autor passa praticamente metade do livro te enganando. Você se sente traído quando descobre tudo, se sente usado, irritado, revoltado. Que é esse Dan Brown que escreveu Inferno??? Nas primeiras duzentas páginas não parece ser o mesmo que escreveu brilhantemente Símbolo Perdido e Código D’Vince.  Mapa do Inferno. Botticelli. Então, quando você descobre que está sendo enganado, assim como o brilhante Robert Langdon, a sua opinião vai se transformando lentamente, e passa de pura revolta a admiração. É genial a manipulação que Dan Brown consegue fazer c

Tudo vai passar

Diante desta desgraça geral, com tantas mortes no mundo e no Brasil, pode parecer estranho um blog falar de leitura, de romance, de ficção, de sonhos. Pode ter a certeza que não é. Do que é feita a vida, senão de sonhos tornados realidades? O que seria agora, dos milhões de italianos que estão em isolamento total em suas casas se não fosse o sonho, a esperança? - Tudo vai passar. Uma das maneiras mais ricas de se passar um momento como esse é a leitura.   O livro é a porta aberta para o mundo que não podemos caminhar; são os abraços que não podemos dar; são os familiares que não podemos encontrar; são pessoas diferentes com as quais podemos dialogar, mesmo que em um primeiro momento pareça que estamos exercendo um monologo. Você pode optar por dialogar com escritores mais contemporâneos, que nos apresentam uma linguagem atual. Talvez uma conversa regada a saquê com Murakami com “histórias bizarras que gravitam no limite do realismo fantástico” como explica Felipe Massahiro.

Setembro

Autor:   Rosamund Pilcher Tradução: Angela Nascimento Machado Editora:  Bertrand Brasil Número de páginas: 462 Ano de Lançamento: 1990 Avaliação do Prosa Mágica:   10                         É uma história extremamente envolvente e humana que traça a vida de uma dúzia de personagens. A trama se passa na Escócia, e acontece entre os meses de maio a setembro, tendo como pano de fundo uma festa de aniversário que acontecerá em grande estilo. Violet, que me parece ser a própria Rosamund, costura a relação entre as famílias que fazem parte deste romance. Com destreza e delicadeza, a autora   nos conta o cotidiano destas famílias, coisas comuns como comer, fazer compras, tricô, jardinagem. Problemas pessoais como a necessidade de um trabalho para complementar a   renda e outras preocupações do cotidiano que surpreendem pela beleza que são apresentadas. É um livro em camadas, que pode ser avaliado sobre vários aspectos que se complementam. Pandora, por exemplo, é o